O presidente da Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), Márcio Wozniack, afirmou que o comportamento de algumas pessoas no fim de semana em Curitiba e região metropolitana acendeu uma luz de alerta nas autoridades de saúde. Houve registro de aglomerações em bares, festas em residências, famílias em parques – sem o uso de máscara e não cumprindo a regra de distanciamento social.

As atitudes conflitantes para o momento de pandemia foram temas cruciais debatidos no Fórum Metropolitano de Saúde desta segunda-feira (31), onde os prefeitos alertaram que o relaxamento pode levar a um aumento no número de casos e retorno de medidas mais restritivas para conter o avanço do coronavírus.

Wozniack durante reunião do Fórum Metropolitano de Saúde (Foto: Assessoria)

 

Wozniack garantiu que a desobediência às regras ficou evidente durante o fim de semana de calor em diversas cidades do Estado do Paraná. “Estamos entrando no quinto mês de pandemia e algumas medidas já vem regrando a vida das pessoas. Estamos em um momento de estabilidade de casos, mas nos preocupa que a flexibilização cause um abuso, o que pode agravar novamente o problema”, iniciou o presidente, que também é prefeito de Fazenda Rio Grande e diretor da Associação dos Municípios do Estado do Paraná (AMP).

Para ele, as pessoas precisam ter consciência. “O que vimos com a abertura dos parques, neste fim de semana de calor, é que as pessoas estão abusando, não usando máscara, o que nos deixou tristes. Estamos aprendendo a conviver com o vírus e a responsabilidade é coletiva e fundamental para que essa situação se mantenha equilibrada, até termos a vacina”, ponderou.

O representante dos prefeitos da RMC salientou ainda que os mais jovens não cumprem as regras por se acharem resistentes ao vírus, mas não percebem que podem levar a doença para dentro de casa. “Histórias como a do cantor Cauan (da dupla com Cléber), que pediu desculpas por brincar com o vírus e levar a contaminação aos pais, a gente já viu nas nossas cidades. Por isso, é preciso evitar atividades que causem riscos, além de tomar todo os cuidados de distanciamento social. Não dá para achar que tudo está como antigamente. Enquanto não tivermos uma vacina, isso não será possível”, salientou Wozniack.

Fórum Metropolitano de Saúde

Para concluir, o presidente da Assomec disse que os resultados obtidos pelo Fórum Metropolitano de Saúde, realizado semanalmente, ajudou a salvar vidas. “Desde a criação do Fórum Metropolitano de prefeitos, estamos nos reunindo virtualmente para detalhar os dados da Saúde na região metropolitana e em Curitiba, e vendo quais as medidas que precisam ser tomadas, todas em conjunto. Essa união de prefeitos foi reconhecida pelos órgãos de saúde e já ajudou a salvar vidas e evitar aglomerações, principalmente com relação ao número de mortes. Vamos continuar nos pautando desta maneira”, finalizou Márcio Wozniack.