Uma banda de rua que se apresentava na Praça Osório, no Centro de Curitiba, na manhã desta quarta-feira (12), incomodou moradores e comerciantes da região, por conta do alto volume do som. A Polícia Militar foi acionada para resolver a situação e encaminhou os envolvidos para o 12º Batalhão, onde os artistas assinaram Termo Circunstanciado (TC).

(Foto: Flávia Barros)

Segundo o tenente Neves, do 12° BPM, a Polícia Militar recebeu reclamações do som na região que estaria excessivamente alto. “Chegou até nós o relato de uma vítima queixando-se de um som excessivamente alto, próximo do seu local de trabalho, o que configura perturbação do trabalho. No local, identificamos a parte que estava se sentindo perturbada, que topou encaminhar a situação até o 12ºBPM”, contou Neves à Banda B.

Walter Matias tem consultório na região, elogiou o trabalho dos músicos, mas afirmou que o volume era insuportável. “Os músicos são bons, mas o volume da música é insuportável. Todos os consultórios no prédio foram fechados e eu estou quase fechando o meu hoje, porque não conseguimos conversar dentro das salas comerciais”, explicou Matias.

O trabalhador da região conta que já tentou conversar com os músicos para resolver o problema, mas não obteve sucesso.”Eu já desci uma vez para conversar com eles, falei com o baterista e ele chegou a me mostrar uma baqueta que fazia menos barulho.  No primeiro dia ele usou ela, mas depois voltou o barulho alto, além de aumentar o número de instrumentos da banda”, relatou o trabalhador.

Outro lado

O músico de rua, Wes Ventura, acredita que o problema é o preconceito contra a arte feita na rua. “Toco na rua XV há uns 5 anos e desde o início tive problemas. Eu acho que existe um preconceito com a arte de rua no geral. Pode estar acontecendo um apresentação apenas de voz e violão, sem amplificador, e eles vão reclamar da mesma forma”, opinou Ventura que diz esperar um feedback da prefeitura. “A gente não quer incomodar ninguém, mas precisamos de um feedback da prefeitura apontando um lugar onde podemos nos apresentar e não incomodar ninguém”, pediu o músico.