(Foto: Colaboração)

 

Após seis dias de greve, os funcionários dos restaurantes universitários da Universidade Federal do Paraná (UFPR) voltaram a trabalhar normalmente nesta terça-feira (24). Em reunião no Tribunal Regional do Trabalho, realizada nesta segunda (23), o Sindicato dos Empregados em Asseio e Conservação (Siemaco) conseguiu reaver o valor integral do vale-refeição, que havia sido reduzido pela empresa que venceu a licitação no ano passado.

Segundo o presidente do Siemaco, Manassés de Oliveira, 200 trabalhadores haviam sido prejudicados com a mudança. “Eu sempre digo que, mesmo em momentos de crise, nós não podemos abrir mão dos direitos que conquistamos ao longo dos anos. Dentro da UFPR não é diferente. Nós temos vários benefícios e, na última licitação, um deles foi tirado dos funcionários. Antes, todos aqueles que recebiam refeição no local de serviço tinham ticket integral de R$ 330. Na contratação feita em 2016, no entanto, eles baixaram esse número para R$ 180”, comentou ele em entrevista à Banda B.

Indignados com a situação, os trabalhadores, cozinheiros e responsáveis pela limpeza, decidiram entrar em greve. A paralisação afetou o serviço dos quatro restaurantes da universidade, que servem 10 mil refeições por dia.

“Essa foi uma conquista que nós tivemos em 2011, 2012, e que nos foi retirada. A nossa manifestação foi muito positiva no sentido de restabelecer as garantias do ticket. Nós inclusive conseguimos que os trabalhadores recebessem o vale retroativo a 2 de novembro, quando iniciaram-se os contratos”, finalizou.