A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa-PR) informou, na manhã deste domingo (1), que os resultados dos exames dos dois pacientes considerados suspeitos para o novo coronavírus (Covid-19) deram negativos. Os dois pacientes são de Curitiba.
Foto: Agência Brasil
Os testes realizados nas amostram enviadas para a Fundação Oswaldo Cruz não identificaram a presença do coronavírus. Dessa forma, no Paraná todas as nove notificações como casos suspeitos de novo coronavírus foram descartadas.

Ação

A Sesa-PR promoveu, na sexta-feira (28), videoconferência sobre o coronavírus com a participação de profissionais das 22 Regionais de Saúde, secretarias municipais de saúde e de instituições hospitalares. Foram abordados temas como o cenário epidemiológico, transmissão, prevenção, sinais e sintomas, fluxo de notificação e uso de equipamentos de proteção.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, destacou que neste momento o Paraná está atento e que todos os profissionais têm a missão de transmitir informações seguras para a população. “Estamos organizados e preparados para o enfrentamento do coronavírus; todas as ações e medidas adotadas pelo Governo do Estado seguem protocolos do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde”, afirmou Beto Preto, que participou do encontro falando de Foz do Iguaçu, onde participava de evento com o governador Ratinho Junior.

Segundo o secretário, a videoconferência teve o objetivo de estabelecer um padrão de comunicação entre todos os profissionais envolvidos no atendimento de pacientes e manejo clínico da doença. “Este é um momento de alerta e não de alarme, por isso a importância de uma comunicação efetiva, com equilíbrio e com transparência”, salienta Beto Preto.

Fluxo

Segundo o fluxograma de atendimento estabelecido pela Sesa-PR, ao receber o cidadão com a sintomatologia, principalmente com problema respiratório, histórico de viagem para países que apresentam contaminação ou contato com suspeitos da doença , o profissional de saúde deverá providenciar a coleta de amostra de material/secreção que será encaminhada ao Laboratório Central do Estado para análise e tomar todas as medidas para proteger o paciente.
A orientação da Sesa-PR é que a primeira avaliação ambulatorial seja feita no serviço de saúde; nas UPAS e UBS, com notificação ao município e ao CIEVS e avaliação clínica epidemiológica.