Um aumento de passageiros dentro dos ônibus metropolitanos foi registrado nesta quarta-feira (15), após o fim do decreto estadual que obrigou vários estabelecimentos a fechar as portas no combate ao coronavírus. A Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba) estuda propor alternativas caso o número de usuários do transporte coletivo ultrapasse a lotação máxima de 65% dos veículos nos próximos dias.

Foto: Divulgação Comec

Em entrevista à Banda B, o presidente da Comec, Gilson Santos, disse que evolução no número de passageiros está sendo observada e mudanças estão sendo avaliadas. “Nesse primeiro dia pós-decreto já sentimos um acréscimo de passageiros nas linhas metropolitanas. Nos próximos dias vamos fazer uma avaliação e provavelmente na segunda podemos ter algum tipo de anúncio. A ideia é priorizar o atendimento nos horários de pico e não deixar que a capacidade máxima de 65% dos ônibus seja extrapolada”, afirmou ele.

Frota

As mudanças que podem ser apresentadas não seriam o aumento da frota, que já trabalha próximo de 100% ou com até mais veículos nos horários de pico em algumas linhas, de acordo com Santos.

O presidente da Comec pede aos patrões para que flexibilizem os horários de trabalho dos empregados. “Buscamos oferecer algum outro atrativo para que os usuários possam se distribuir melhor em outros horários e não se concentrem nos horários de pico. Contamos com o apoio do empregador na flexibilização dos horários para ter essa melhor distribuição ao longo do dia”, explicou.

Nos 14 dias do decreto estadual, Santos conta que a oferta de ônibus foi maior que a demanda pelo serviço. Ele diz também que os veículos operaram com ocupação de no máximo 45% de sua capacidade total durante esse período.