Quase um mês após anunciar um corte que poderia chegar a 5 mil funcionários, a Volkswagen chegou a um acordo com funcionários da fábrica de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, para a manutenção dos empregos. Em votação online, a categoria aceitou uma proposta que garante os empregos por 5 anos.

Divulgação

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC), a proposta engloba a garantia dos empregos através do Layoff (suspensão do contrato de trabalho com o trabalhador recebendo seguro desemprego e a empresa complementando o salário até 82,5%).

Além disso, estabelece um Plano de Demissão Voluntária (PDV), data base e Participação nos Lucros e Resultados de R$ 12.800,00 para 2020 com reajuste pelo INPC até 2024 sendo o percentual garantido de pagamento da primeira parcela estipulado em 52% do valor total da PLR do ano anterior.

“Desde que a Volkswagen nos procurou deixamos claro que a nosso objetivo era evitar as demissões e que então buscássemos alternativas para procurar manter os empregos e a competitividade da empresa. Graças ao bom senso de ambas as partes, conseguiu-se tirar uma proposta de preservação e garantia dos postos de trabalho pelos próximos cinco anos. Com isso, há tranquilidade para que o trabalhador possa desempenhar bem sua função e a empresa possa se planejar para enfrentar o momento difícil pelo qual o país passa”, resumiu o presidente do SMC, Sérgio Butka.

“O ponto principal é garantia dos empregos. Isso é mais difícil de garantir, em especial em um momento de crise. Por que quando há um momento de crescimento econômico os trabalhadores buscam melhorar os seus rendimentos.  Mas num momento de crise a preocupação maior é no sentido de preservar o emprego, ainda mais no momento que estamos de desemprego em alta. Avaliamos positivamente este acordo, não só para os trabalhadores da Volks por que isso tem reflexo em toda a cadeia automotiva”, ressaltou o secretário geral do SMC, Jamil Dávila.

A unidade paranaense da Volkswagen emprega aproximadamente 2450 trabalhadores, sendo quase 2000 na linha de produção e o restante administrativo e indiretos (manutenção, qualidade ferramentaria e outras funções). Nesta unidade são produzidos os modelos T-Cross e Fox.