Curitiba ganhou mais um paciente para o quadro de recuperados da Covid-19. Trata-se de Ali Omari, que foi internado em 7 de Julho no Hospital da Cruz Vermelha e recebeu alta hospitalar após ficar 80 dias internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A família o recebeu com uma festa para celebrar o retorno à vida e a saída do hospital. A Banda B esteve no local e fez o registro deste momento marcante para o vendedor, que não conteve as lágrimas ao ver a recepção para ele na tarde desta quarta-feira (30).

 

Ao longo destes 80 dias de internação, Omari passou 78 entubado e ainda teve que lutar contra um Acidente Vascular Cerebral (AVC), algo que complicou o quadro clinico do vendedor que já era grave por conta da Covid-19. Agora, o vendedor de 42 anos faz parte do grupo de 38.776 pessoas* que venceram a infecção provocada pelo novo coronavírus. “É agradecer a Deus porque Ele colocou meu irmão de novo para à vida. Nasceu de novo. Hoje, as lágrimas são de alegria”, disse Hassan Omari à Banda B.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, por conta da gravidade da situação do vendedor a família não pôde visita-lo no leito de UTI durante este tempo. Em certos momentos, segundo a família, os médicos acreditavam que ele poderia ficar vegetativo ao sair do hospital, caso recuperasse. No entanto, a história de complicação de Omari já é uma página virada para os amigos e familiares.

 

O vendedor Ali Omari recebe alta e uma festa de amigos, familiares e a equipe do hospital. Foto: Reprodução

 

 

“Com certeza, a gente passou estes quase três meses por um momento bem difícil. Mas, graças  a Deus ele está tendo a alta e vamos seguir firmes para que ele possa comer um churrasco junto com a gente quando der uma amenizada. Agora, podemos planejar um futuro”, ressaltou o primo e estudante de odontologia Vitor Hugo Guerra. Uma das pessoas que mais sofreu durante este tempo foi a mãe de Omari e, aos prantos, ela disse. “Muita saudade, ele fez muita falta. É um filhão e Deus deu à vida de novo para ele”, comemorou Dona Camélia.

Para a família, Omari é um exemplo de luta e perseverança e sua história pode servir de inspiração para mais pessoas.  “Quando soube que ele estava com Covid-19, que teve o AVC e não estava respirando, e que nem a mãe podia vê-lo, eu falei ‘pronto’ e fiquei desesperada. Mas, sempre acreditei que sairia dessa e saiu, graças a Deus”, concluiu a prima Suzana Omari à Banda B.

Matérias Relacionadas

* O número de 38.776 pessoas recuperadas pela Covid-19 corresponde ao Boletim Municipal desta terça-feira (29).

Vídeo

O repórter Marcelo Borges esteve no local e registrou toda a homenagem.