A Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) investiga a morte do motociclista Rodolfo Santos Weyn, de 35 anos, que foi atingido por uma caminhonete na Rua Theodoro Makiolka, no bairro Santa Cândida, em Curitiba. Identificado pela Polícia Civil, o motorista do veículo Ford Ranger alegou em depoimento que deixou o local do acidente por medo de ameaças. Uma testemunha que conversou com a Banda B nesta quarta-feira (26), porém, contesta e afirma que o motorista fugiu após perguntar se a vítima havia morrido.

Foto: Colaboração

“Eu estava na esquina, a uns dez metros do local do acidente, e vi a caminhonete em alta velocidade. Foi quando o motoqueiro passou e acabou atingido. Tentamos ajudar e o motorista veio na minha direção. Ele só disse: ‘pelo jeito ele morreu né?’. Nisso, votou para a caminhonete e foi embora”, garante a testemunha, que optou por não se identificar.

A batida aconteceu na noite da última sexta-feira (21), na esquina da Theodoro Makiolka com a Rua Doutor Álvaro Teixeira Pinto.

Para a identificação da caminhonete, a polícia se utilizou de uma câmera de segurança da região. As imagens não mostram o acidente, mas apontam o momento em que a caminhonete deixa o local.

Segundo a testemunha, não havia qualquer risco para o motorista no momento da fuga. “Ele veio em minha direção e fez essa pergunta, mas já em seguida saiu. De fato, mais motociclistas vieram após a batida, mas aqui o motorista não ficou nem três minutos”, concluiu.

O Siate (Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência) realizou os primeiros socorros, mas Rodolfo não resistiu.

A Dedetran segue investigando o caso.