Amigos, familiares e a população campolarguense deram o último adeus a Marcelo Puppi, na tarde desta quinta-feira (7), mais uma vítima fatal da Covid-19 após uma batalha contra a doença que durou mais de um mês. O velório do prefeito reeleito de Campo Largo aconteceu na Câmara dos Vereadores da cidade, na região metropolitana de Curitiba (RMC). Ele deixa esposa e filhos.

 

Corpo de Marcelo Puppi é colocado no caminhão do Corpo de Bombeiros sob aplausos. Foto: Marcelo Borges/Banda B

 

Uma cerimônia fechada à familiares e líderes religiosos da cidade aconteceu entre as 13h e 14h. A partir das 14h, a população teve acesso ao plenário da Câmara para prestar suas homenagens. Uma grande fila, respeitando o distanciamento social, foi formada nas imediações da casa legislativa. “Ele era uma pessoa que além de prefeito, era amigo, acolhedor e humano. Conheço o Marcelo desde a gestão do pai dele. Nós, de Campo Largo, não estamos perdendo um prefeito, mas sim um amigo. Deus tem um plano maior para ele”, disse Valciria Oliveira, moradora da região à Banda B.

 

 

“É com muita honra que eu venho participar deste velório. Eu sou do interior e ele fez muita coisa para nós. Algo que nenhum prefeito fez”, revelou João Machado, morador da área rural da cidade. Dona Clara destacou a proximidade da família de Puppi com a dela. “Não tinha como não vir aqui hoje. Existem os riscos, mas aqui está tudo organizado e tranquilo. Ele era muito querido e deixará um belo legado para a cidade”, disse ela.

 

 

A população pôde prestar homenagens ao prefeito até as 15h30. Em seguida, o corpo de Puppi foi levado por um caminhão do Corpo de Bombeiros ao Cemitério Municipal de Campo Largo, onde foi sepultado.

Giovana Puppi Túlio, sobrinha de Marcelo Puppi, contou à Banda B como foram os últimos momentos do tio no hospital. Ela disse que a família não esperava a morte em nenhum momento, ainda mais com a melhora clínica apresentada nos últimos dias. “Infelizmente, ele teve a hemorragia, foi levado para procedimentos médicos e veio a falecer. É um momento muito difícil para todos nós. Ele era um pai, irmão e tio maravilhoso”, lamentou.

“Mas ver o quanto ele era amado por este povo, é algo que nos conforta”, ponderou.

Continuidade

Continuidade é a palavra da vez para o vice-prefeito Mauricio Rivabem (PSL). Ribavem irá assumir a cidade em definitivo diante da morte do companheiro gestor de Campo Largo. Porém, além de um parceiro na vida política, o vice-prefeito ressaltou a amizade e o companheirismo de Puppi. “É um dos momentos mais difíceis da vida de uma pessoa. A nossa parceria culminou na reeleição e nós conseguimos fazer bons projetos para Campo Largo”, iniciou.

Rivabem afirmou ainda que é inacreditável pensar que Puppi tenha sido contaminado diante dos cuidados que ele tomou durante o momento de campanha. “A campanha foi toda online. Ele foi contaminado e ficou no hospital por mais de 40 dias. Se recuperou nos últimos dias, mas houve uma ruptura no estomago dele, algo que não tem nada a ver com a doença, e veio a falecer nesta madrugada”, lamentou. “Vou tentar fazer o melhor a partir de agora. Tenho certeza que ele estará ao meu lado”, completou à Banda B.

O prefeito de Balsa Nova, município vizinho a Campo Largo, Marcos Zanetti (PSD), explicou que a cidade está sentida com a fatalidade. “Balsa Nova é uma cidade coirmã de Campo Largo e sempre trabalhamos juntos. Infelizmente aconteceu esta fatalidade com nosso companheiro e amigo, visto que o conheço antes mesmo da política. Deixo as minhas condolências à família”, pontuou.

 

 

Cida Borghetti e Onyx Lorenzoni

A ex-governadora do Paraná, Cida Borghetti, que também foi contaminada pela Covid-19, destacou a amizade com Puppi. “Nós tivemos a sorte que o vírus não se agravou. Hoje, eu perdi um grande amigo. Um amigo muito especial. Nós militamos juntos e sempre admirei a sua qualidade de articulação e desenvolvimento, sempre buscando o melhor que há no mundo para a sua amada Campo Largo. Ele era um homem que amava a cidade e as pessoas; era diferenciado. Peço à população que respeite as medidas sanitárias”, considerou.

Direto de Brasília, o Ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni também compareceu ao velório para dar adeus ao amigo. “Eu também tive a doença e cada organismo reage de uma forma. Ela é complexa. A medicina tem muito para aprender sobre ela. Mas é importante ressaltar que a equipe médica do Rocio foi admirável”, destacou. À Banda B, Lorenzoni ressaltou inúmeras virtudes de Puppi, mas também do trabalho público em nível nacional do prefeito.

“Ele ajudou muito o presidente [Bolsonaro] no período da pré-campanha e na montagem do governo em 2018. Ele sempre foi um homem público da melhor qualidade e ser humano extraordinário. Falei com pessoas do Brasil todo e todas elas estão consternadas porque, primeiro, o Marcelo parte muito cedo. Segundo, ele construiu ao longo da vida, um trabalho na base da amizade e da parceria. Perde Campo Largo, o Paraná e o Brasil. Cada um dos amigos carregam um pouco do Marcelo dentro do coração”, homenageou o Ministro.

 

 

Puppi e a Covid-19

Marcelo Puppi estava internado no Hospital do Rocio desde o dia 25 de novembro, após receber o diagnóstico positivo da doença. A esposa de Puppi, Daniela Corsini Puppi, também chegou a ser internada, mas se recuperou. No entanto, três dias depois do internamento, o prefeito foi transferido para uma UTI por conta do agravamento da doença.

Ele já havia sido reeleito para um segundo mandato na prefeitura, nas eleições municipais no dia 15 daquele mês, com 39,26% dos votos. Mas, devido a piora do estado clinico, no último dia 10, o vice-prefeito Mauricio Rivabem (PSL), assumiu provisoriamente o mandato. Já em 2021, no dia em que seria empossado para o novo mandato, a família de Puppi confirmou pelas redes sociais que o prefeito acordou da UTI.

“Conforme boletim médico divulgado na data de hoje, nosso Prefeito esta acordado e lúcido, traqueostomizado em desmame de ventilação. Agradecemos as orações de cada um dos campo-larguenses e rezamos, cada vez mais, para que logo em breve ele possa estar novamente administrando o município que tanta ama”, dizia a postagem feita no dia 1º de janeiro.

No entanto, ele apresentou uma nova piora no estado clínico, e ainda na quarta-feira (6), Puppi estaria sem reação cerebral. A morte, por sua vez, foi confirmada pelo hospital em uma nota divulgada na madrugada desta quinta-feira (7).

Matérias Relacionadas