Um problema no motor de uma ambulância fez um paciente aguardar por cerca de cinco horas na Rua Brigadeiro Franco, no Centro de Curitiba, nesta quinta-feira (5). Morador de Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro, o paciente foi trazido com um veículo municipal para um atendimento médico. Por volta das 11 horas, a ambulância já deixava a capital, quando acabou tendo o motor fundido, ficando parada entre a Avenida Visconde de Guarapuava e a Rua Dr. Pedrosa. O motorista critica a falta de apoio, mas o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) garante que o primeiro endereço repassado por ele estava equivocado, o que impossibilitou o apoio.

Foto: Marcelo Borges – Banda B

O motorista Roberto Pimentel entrou em contato com a Banda B e criticou a falta de ajuda. “Liguei para o Samu e nada. Liguei para o Corpo de Bombeiros e nada. Olha a condição que ficamos, são horas sem almoçar. Eu só queria levar ele para descansar em alguma casa de apoio”, disse.

Como o paciente é de Santo Antônio da Platina, o transporte para casa necessita de outra ambulância do município. Para essa espera é que o motorista pediu apoio até uma casa de apoio.

Diante da situação, a Banda B procurou a Prefeitura de Curitiba, que informou que no primeiro envio da ambulância, o informante repassou um endereço equivocado. “O Samu chegou e eles não estavam”, informou a administração municipal.

Na sequência, com novos detalhes repassados, a equipe localizou o solicitante e encaminhou o paciente para a Casa de apoio Paraná, na Rua Omar Sabag, no bairro Jardim Botânico.

Apesar da espera, o paciente passa bem. A expectativa é de que ele retorne para casa ainda nesta quinta-feira.

A Banda B também procurou a Secretaria Estadual de Saúde, que até o momento não se posicionou sobre o ocorrido.