Reprodução

 

Responsável pela defesa do motociclista Leonardo de Magalhães Fonseca, o advogado Elias Mattar Assad divulgou uma nota à imprensa nesta quarta-feira (11) e afirmou que o jovem de 22 anos sabe da gravidade do acidente que deixou três pessoas atropeladas na Avenida do Batel, em Curitiba.

“O indiciado e sua família não negam a gravidade do fato, lamentam profundamente o ocorrido e tudo farão, dentro do possível, para minimizar as consequências com relação às vítimas. O indiciado se coloca ao dispor da Justiça e se submeterá a todas as deliberações, informando que está fazendo a entrega voluntária de seu passaporte ao Juízo de Direito da Segunda Vara dos Delitos de Trânsito de Curitiba”, descreveu.

Leonardo está internado no Hospital Marcelino Champagnat. Assim que receber alta, ele será levado à Delegacia de Delitos de Trânsito e passará a ser monitorado por tornozeleira eletrônica. Segundo registros do Detran, Leonardo estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa há quase dois anos.

Segundo a nota de Mattar Assad, Leonardo e a mãe estão sem condições psicológicas para falar sobre o acidente no momento.

De acordo com o delegado Anderson Franco, o motociclista foi autuado em flagrante. “Já colhemos diversos depoimentos, de testemunhas oculares, que nos ajudaram a entender a dinâmica do acidente. Em 2016, percebemos que ele foi autuado pela mesma infração e, desde então, está com a carteira suspensa”, explicou.

O acidente

O acidente aconteceu na tarde de sábado (7). De acordo com testemunhas, o motociclista empinou o veículo e perdeu o controle. O pai dele esteve no local e contestou a versão das testemunhas. Ele ainda entrou em conflito com profissionais de imprensa que reportavam o ocorrido.

Entre as vítimas, uma idosa de 88 anos foi liberada ainda no sábado do hospital. As vítimas mais graves são uma mulher de 39 anos e a sobrinha dela, de 8. A tia passou por uma cirurgia e está internada no Hospital do Trabalhador, em estado grave.

Já a menina está internada no Hospital Pequeno Príncipe, que não divulgou novo boletim do estado de saúde.

A Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) investiga o acidente.

Notícia Relacionada: