Vinte e seis pessoas foram flagradas ao entrar num ônibus da linha Capão Raso sem pagar a passagem na noite desta quarta-feira (5/6) , no bairro Juvevê, em Curitiba. Segundo a Defesa Social de Curitiba, a maioria estava a caminho de casa, logo após ter saído de um evento religioso, por volta das 22 horas.

 

Foto: Daniel Castellano / SMCS

A operação contra os fura-catraca foi deflagrada pela Secretaria Municipal da Defesa Social com o apoio da Polícia Militar na estação-tubo Constantino Marochi, na Rua João Gualberto. Todos os infratores foram encaminhados  para o registro de Termo Circunstanciado em cartório.

O secretário de Defesa Social de Curitiba, Guilherme Rangel, explicou que  das 26 pessoas detidas, 22 eram menores  e quatro maiores de 18 anos. Segundo o secretário, que eles estavam saindo de uma igreja. “Se tratava de um grupo de pessoas que estava em uma igreja. Eles saíram de um evento religioso e na sequência furaram a catraca para retornar para casa”, explicou.

Com prejuízo estimado em R$ 6 milhões por ano com os fura-catracas, as empresas de ônibus de Curitiba lançaram nesta terça-feira (4) uma campanha de conscientização para tentar diminuir o número de invasões. Com apoio da Prefeitura de Curitiba, a campanha também terá um caráter de inteligência, já que imagens de invasores serão repassadas às polícias Militar, Civil e Guarda Municipal.

O Diretor Executivo do Setransp, Luiz Alberto Lenz Cesar, agradece a ação da Guarda Municipal e Polícia Militar. “Queremos agradecer a ação eficiente da Guarda Municipal e Polícia Militar apreendendo essa quantidade de jovens menor idade e outros de maior idade. Quero afirmar que esse projeto veio para conscientizar e trazer resultado para a população e segurança para os passageiros. Furar catraca é crime”, conclui.

Outras estações-tubo

Segundo Rangel,  a operação vai dar continuidade nas buscas e fazer o levantamento dos tubos mais afetados por essa situação. “Estamos sempre levantando os tubos de maior problema. Pedimos a população que ligue para a Guarda Municipal que faça essas denúncias para que a gente possa cada vez mais efetivar esse trabalho e dar uma resposta mais eficaz a população”, esclareceu.

De acordo com o diretor da Setransp, folhetos já estão sendo distribuídos e o objetivo também é mostrar que furar a catraca é crime e que gera punição. “Temos um número alarmante de 4 mil pessoas por dia que furam a catraca. Com esse valor que deixamos de arrecadar, seria possível comprar seis novos biarticulados por ano e queremos mostrar isso. Entendemos que esse trabalho trará uma conscientização e mostrará que estamos trabalhando junto com a polícia para a punição”, explicou. Luiz explica que esses valores foram extraídos de pesquisas realizadas pela equipe do projeto.

Autor do projeto, o vereador Rogério Campos (PSC) comentou que a lei ainda não está em prática por falta de uma regulamentação por parte do município. “Infelizmente ela foi aprovada e ainda não é cumprida. Queremos que o infrator seja levado para a delegacia. No caso do adolescente, além do carão que vai passar com os pais, ainda vai cumprir uma medida socioeducativa”, comentou.

O secretário de Defesa Social disse que os menores terão infração penal prevista no Eca e perdem o benefício do cartão estudante enquanto os maiores de idade respondem por crime previsto no código penal.