A endometriose é uma doença que atinge uma parcela de mulheres em idade reprodutiva, e para entender melhor, vamos detalhar um pouquinho mais sobre essa condição, começando pelo endométrio que é mucosa que reveste a parede interna do útero e durante o ciclo menstrual, a ação hormonal provoca mudanças. O estrogênio faz com que o endométrio engrosse de modo a nutrir um embrião, mas se não houver gravidez, o estrogênio é produzido em quantidades menores e aumenta a produção do hormônio progesterona, que faz com que o revestimento endometrial se solte do útero e se torne o fluxo menstrual e isso se estende até a menopausa.

A endometriose pode ser assintomática, ainda não há causas bem estabelecidas, há algumas possibilidades de teorias como: genética, deficiência do sistema imunológico e outras condições que são investigadas frequentemente. Os sintomas mais comuns são: dismenorreia que tem fluxo aumentado com a evolução da doença, dispareunia que é a dor durante as relações sexuais; inchaço abdominal, dor e sangramento intestinais e urinários durante a menstruação e infertilidade. Os fatores de risco estão associados com alterações no útero, estresse e má alimentação.

Leia o conteúdo completo no Blog Natuclin