O noticiário da televisão anda com cara do dia anterior, da semana anterior, do mês anterior, do ano anterior e de dias ou até de semanas, que ainda não vieram. Uma bola de cristal caberia bem na bancada.

As mesmas histórias de sempre: do congresso em recesso -quando deveria estar trabalhando, das CPIs, todas iguais, das eleições, das promessas, da violência – e ultimamente do tempo, que virou vedete nos noticiários…
Também das soluções que todos têm para tudo e que ninguém nunca viu.

Foto: EBC

Acho que preciso de mais tempo para repetir tudo que já vi e não aprendi ou ainda não entendo.

Preciso aprender a não perder tempo com uma hora a mais do horário de verão que este ano não veio. Num tempo que não me sobra.

Levanto e no dia seguinte lá está o Bom Dia da tevê contando dos kms de engarrafamento em São Paulo e Curitiba, dos vândalos e assaltantes que em mais uma noite assustam cidades, vandalizam escolas. Dos policiais que mataram o assistente de pedreiro, de mais uma criança morta em confronto entre polícia e bandidos.

Dos gols da rodada, do futebol que virou de um time só, fazendo perder a graça de uma competição de pontos corridos que até aqui vinha bem.

Preciso mudar meu programa matinal, da hora do almoço e do jantar ou não dar mais ouvidos.

O noticiário de tevê anda tendo uma importância que não pode ter. Está quase idiotizado.