Ilustração Pixabay

Os meus problemas se perdem nas neuroses e ganham em tamanho.

A luta passa a ser a tentativa de devolvê-los ao tamanho natural.

Por quantas destas ainda vou passar, até que finalmente consiga achar o tamanho exato de cada um deles?

Alguns se transformam em feras indomáveis, cruéis… descontrolados saem por aí muitas vezes fazendo estragos.

Deixo que vão, que se percam na vaidade, no ego… longe de mim, mas mesmo assim, causam estragos por aqui.

Crio a expectativa que se acabem no próprio veneno.

Quando se acalmam, penso que foram embora, mas ressurgem, e nesta ladainha vão e voltam, em vários tamanhos, muitas vezes.

Acham que não sei deles. Antes, não sabia, agora sei. Identifico e classifico cada um. Por tamanho, por estrago que proporcionam e pela intensidade.

Já consigo ter a ideia do tamanho real e o perigo de cada um.

Quando se inflam, ganham proporções grandiosas e me assustam e me impressionam.

Ainda me assustam muito, mas já reconheço o embuste. É um bom começo.

Esta briga ainda terá um adversário a altura.

*Sergio Brandão é jornalista há 43 anos, com passagem pelas principais emissoras de tv, rodou o Brasil por conta da profissão. O jornalismo que ensina a olhar as coisas com olhos diferentes, para Brandão é um exercício diário.