Luiz mora em União da Vitória. Nasceu e morou em Curitiba durante anos. O futebol está entre suas paixões. Não só porque o avô foi atleta do Coritiba, mas porque a família soube preservar o sentimento nas gerações seguintes.

Por conta da distância, Luiz acompanha seu clube do coração como dá, às vezes se aproximando do time, enfrentando mais de 3 horas de carro até a Capital para ver o Coritiba jogar.

William Matheus comemora o gol da vitória do Coritiba sobre o Oeste. (Foto: Geraldo Bubniak/AGB)

A um preço bem alto, porque o time não ajuda, o judiado torcedor tenta manter a herança familiar, repassado seu amor pelo Coxa ao casal de filhos, Ana e Gabriel. Ana já é quase uma moça, Gabriel tem 7 anos e também gosta de futebol como o pai, mas como ainda é muito novo, Luiz tem receio que o menino enverede por caminhos que desagradariam a família, torcendo pelo rival, Atlético, o que seria uma heresia, segundo Luiz. Algo imperdoável, fazendo seu avô se “revirar no caixão”, arremata Luiz.

O assunto ganha tons dramáticos porque em União da Vitória só há uma escola de futebol, que por azar de Luiz, é mantida pelo Atlético. Contra sua vontade, depois de muito insistir, Luiz levou Gabriel para fazer testes. Passou e segue frequentando. Dói em Luiz ver aquilo, o filho vestindo o uniforme rubro-negro.

O “basta” nesta história foi dado quando o time da Gabriel ganhou uma viagem para Curitiba, para ver uma das partidas do furacão, no brasileiro, com direito a tour pela Arena da Baixada. De bate pronto Luiz disse não. “Esta história está indo longe demais” – esbravejou o pai.

Pra compensar e finalmente apresentar o Coritiba ao menino, Luiz prometeu levar Gabriel a um jogo do Coxa. Combinaram de enfrentar a estrada de União da Vitória a Curitiba neste sábado( 16/11), para assistir Coritiba x Oeste.

No fundo, Luiz sabia que todo o esforço podia ser em vão, por conta da história recente do time. Mesmo assim, seguiu correndo os riscos que a missão oferecia. Luiz só não sabia que a sorte estava do seu lado, dando uma enorme mãozinha.

É que além da vitória diante do Oeste, Gabriel, Ana e Luiz, acabaram se hospedando no mesmo hotel onde o delegação Coxa estava hospedada.

Além da vitória, Gabriel leva pra casa muitas fotos com seus (agora) ídolos e muita história pra contar.

Aliviado, Luiz comemora a conquista de mais um coração Coxa- branca. Este mais que especial, afinal não seria perdoado pela família se seu filho fizesse outra escolha que não fosse o Coritiba.

*Sergio Brandão é jornalista há 43 anos, com passagem pelas principais emissoras de tv, rodou o Brasil por conta da profissão. O jornalismo que ensina a olhar as coisas com olhos diferentes, para Brandão é um exercício diário.