O título brasileiro de 1985 já passa em preto e branco. A história do Coritiba logo será contada em sala de aula. Assim como é lembrada a Guerra do Paraguai, a história do Descobrimento, de D. Pedro, de João VI, da Independência.

De coadjuvante a campeão, dirão os historiadores do futebol. Assim como já está em preto e branco o título de “ Fita Azul”, do “Torneiro do Povo”… logo o Brasileiro de 85 também perderá suas cores.

Para sobreviver nesta selva do futebol, é preciso fazer história todos os dias – ou em quase todos. Para que lá na frente, uma geração mais sadia (mentalmente), conte esta história. Porque eu, aos 63 anos, já tenho o filme dos” heróis do Maracanã”, em preto e branco.

Meu filho mais velho, com 33 anos, nem sabe o que foi isso. Minha filha de 10, quem sabe ouça sobre isso em algum momento na sua vida escolar.


 

*Sergio Brandão é jornalista há 43 anos, com passagem pelas principais emissoras de tv, rodou o Brasil por conta da profissão. O jornalismo que ensina a olhar as coisas com olhos diferentes, para Brandão é um exercício diário. Sempre com uma narração leve e didática, às vezes romanceada, conta histórias da vida, num cotidiano de todos, mas que também servem de espelho. Coisas da vida, do nosso dia a dia, que encontramos numa interpretação semanal, vista com olhos de quem vê a vida por um viés que às vezes passa batido. Um bom momento para aqui no Blog, ver uma vida contada em textos.