Vivemos num mundo do politicamente correto, onde as pessoas perderam a liberdade de expressar o que sentem ou querem comentar.

Primeiro tem que se analisar o que vai falar e ver se não irá agredir ou ofender uma pessoa, uma classe social ou um grupo étnico.

Mas em contrapartida os que se apresentam como minorias ou grupos perseguidos, se sentem no direito de fazer ou falar o que querem, sem receio de serem cobrados ou julgados.

É comum vermos esses grupos interditando ruas e rodovias, atrapalhando o trânsito e prejudicando os cidadãos de bem que pagam seus impostos e indiretamente sustentam esses grupos que sobrevivem com recursos obscuros.

Os movimentos contra o governo se utilizam de adolescentes que fazem parte das torcidas organizadas, e que são fáceis de se conduzir e manobrar, e no final o que vemos nas imagens postadas nas redes sociais são vandalismos e depredações contra o patrimônio público e privado.

Todos têm o direito de manifestar suas opiniões, o que não podemos concordar é que usem pessoas como massa de manobra, os quais na maioria das vezes nem sabe porque estão lá, a não ser para fazerem bagunça e quebra-quebra. E outra constatação, não se vê a bandeira do Brasil, apenas de movimentos sociais.

Outro detalhe a se observar é: se estão fazendo algo em que acreditam e querem defender, porque o fazem mascarados como marginais?

Os movimentos pró-governo também se articulam, mas o que vemos são famílias, pessoas de idade e crianças, sem tumultos ou badernas e a maioria com camisetas e bandeiras do Brasil e todos mostrando os rostos.

Precisamos de leis que não gerem várias interpretações, onde os ricos tem dinheiro para usarem a sua melhor interpretação, enquanto os pobres sofrem com a sua pior interpretação. E partes do Governo, em especial no Poder Judiciário, deveriam dar o exemplo e aplicar a lei igualmente para todos, e não como diz o ditado popular.

Para os amigos, os benefícios da lei.

Para os indiferentes, a lei em si.

Para os inimigos , além do rigor da lei, a má vontade.

E nunca esqueçam, PREVENIR é sempre o melhor remédio.

Encaminhem suas dúvidas para [email protected]