Uma oferta tentadora, uma ligação de um número desconhecido ou até um amigo muito próximo pedindo para que você pague um boleto. Também pode ser algum familiar pedindo um depósito bancário para ajudá-lo numa situação difícil. Essas são algumas das situações mais comuns que envolvem invasões a contas de WhatsApp.

Por isso ao receber uma mensagem, de um número desconhecido, ou uma ligação onde pedem que responda digitando o código que estão lhe enviando. Não façam isso, pois ao mandar o código estará liberando o acesso de seus dados para o estelionatário.

 

Com o controle do número, os bandidos entram em contato com amigos e familiares da vítima para extorqui-los. Na maior parte das vezes, o estelionatário diz que está precisando de dinheiro com urgência. Entre os argumentos, eles dizem que precisam pagar um tratamento médico ou quitar dívidas, por exemplo.

Como a foto e o número de telefone são de uma pessoa de confiança, muitos caem nesse golpe antes que a vítima consiga identificar o golpe e avisar seus conhecidos. Algumas vezes, o bandido ainda extorque o próprio dono do chip para devolver o número.

Como evitar esse golpe?

A solução é ativar a verificação em duas etapas (saiba como abaixo). Com isso, a pessoa que ativa um novo chip precisará de uma segunda confirmação, por e-mail ou SMS, caso ela tente acessar o aplicativo de mensagens.

A autenticação de dois fatores é uma boa maneira de manter seus dados mais protegidos. Trata-se de uma camada extra de segurança que garante que as pessoas que estão tentando ter acesso a uma conta online são quem elas realmente afirmam ser.

Está disponível não só no WhatsApp, mas em diversos outros aplicativos.

No WhatsApp, a opção é chamada de “verificação em duas etapas”. Para acessá-la, vá até as configurações do app, entre na opção “conta” e em seguida “verificação em duas etapas” – tanto em Android como em iOS

O aplicativo vai pedir para você escolher uma senha de seis dígitos, que será requisitada ocasionalmente.

Para ativá-la, primeiro é necessário digitar seu nome de usuário. Depois, em vez de ganhar acesso imediato à conta, é preciso fornecer uma segunda autenticação: a digital, um comando de voz, uma senha ou um código enviado por SMS para o seu celular.

Como disse, o melhor é evitar o SMS como fator de autenticação porque hoje ele pode ser facilmente hackeado. O SMS é vulnerável aos ataques pois está numa camada de uma rede criada na década de 1970. Existem diversos tutoriais que ensinam a quebrar essa proteção. O mais recomendado é cadastrar um e-mail para a dupla autenticação.