Até quando vamos continuar a viver em um mundo de insegurança onde o marginal tem direitos e o cidadão é marginalizado?

O Brasil começou a mudar, mas ainda estamos longe de chegarmos a um mínimo de ideal desejado.

Para podermos melhorar nossa segurança, primeiro temos que melhorar nossa legislação, pois hoje ela é direcionada para proteger marginais adultos e adolescentes.

O ideal no caso dos adolescentes é criar uma legislação onde o Ministério Público (Promotor), após avaliar o caso poder solicitar ao Poder Judiciário (Juiz) para definir se o menor será julgado como menor de idade ou como adulto.

Assim poderíamos tratar adolescentes que cometeram crimes primários como “crianças” e da mesma forma tratar “bandidos adolescentes” como adultos.

E com relação aos maiores de 18 anos, aprovarmos logo essa mudança de início de cumprimento de pena após julgado em 2ª Instância, e acabarmos com essa onda de impunidade, onde nossos políticos pensando em uma possível condenação, enrolam e não aprovam nada que possa vir a colocá-los na cadeia.

É triste, mas nossa realidade, onde políticos corruptos só legislam em causa própria e visando se beneficiar.

E cobrarmos e repudiarmos a cada dia mais as posturas e decisões esdrúxulas do nosso judiciário, onde vimos recentemente milhares de bandidos perigosos sendo liberados da cadeia por causa do Covid e ao mesmo tempo vimos cidadãos de bem sendo presos por quererem trabalhar.

Vermos nosso judiciário proibir colocar algema em vagabundo e não falar nada quando o cidadão de bem é algemado.

Vermos crianças todos os dias andando nas ruas a mercê dos traficantes sem ninguém falar nada, e esses mesmos traficantes sendo defendidos por ONGs e defensores dos Direitos Humanos, mas se um menor trabalha para auxiliar no sustento da família, vira “manchete nacional” e quem o contratou vira marginal, e é execrado pela mídia e um bando de falsos moralistas.

Essa impunidade em decorrência da falta de uma legislação séria e decente é que faz com que o cidadão fique preso em casa e os marginais livres pelas ruas.

Logo teremos a oportunidade de começarmos a mudança, escolhendo vereadores e prefeitos que tenham comprometimento com o certo e sem passado criminal, e digo isso pois temos candidatos até usando tornozeleira eletrônica. O que é uma vergonha, mas é o povo quem vota e colhe o resultado de suas escolhas.

Por isso pensem, reflitam e analisem o histórico do seu candidato.

Se for bom vote, senão, não vote. E nunca troquem o seu voto por esmolas, pois depois da eleição, você verá como foi errada a sua postura.

O nosso futuro, bom ou mal, está nas mãos de cada eleitor.

Para sugestões e dúvidas encaminhem seus e-mails para [email protected]

 

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Banda B.