O carnaval acabou, mas infelizmente o que vemos todos os anos é diminuírem as notícias falando das alegrias que o carnaval proporciona, para colocar em destaque os crimes e as violências registradas durante as festividades.

As pessoas saem para viajar ou simplesmente aproveitar o carnaval em sua cidade, mas independentemente de onde estejam, sempre estão presentes os marginais que se aproveitam para furtar e roubar os transeuntes que estão descontraídos e aproveitando o clima animado que o momento propicia.

Em alguns casos os marginais furtam os celulares e carteiras.

Imagem ilustrativa

Em outros, marginais montam grupos para agirem, onde o “líder” escolhe a vítima e solta o bando para cercar, agredir e roubar tudo que puderem.

Vendedores ambulantes que em alguns casos são também marginais, ao receberem os pagamentos trocam os cartões e como memorizaram a senha da vítima, fazem compras e saques, e somente quando for usar novamente o cartão a vítima perceberá que tocaram seu cartão, aí o prejuízo já está concretizado, pois os gastos foram feitos antes do registro do extravio do cartão.

O excesso de bebidas e a falta de educação é outro fator que gera muitas ocorrências e como divulgado, várias mortes em brigas de grupos ou até mesmo pela reação das vítimas.

O pior é que a polícia pouco pode fazer, pois nossa legislação exige a presença da vítima para formular a queixa, mesmo que o ladrão seja pego com objetos furtados.

Bons tempos era quando o bandido era preso e passava pelo menos a noite na cadeia para ser solto só no dia seguinte. Essa conduta adotada à época é considerada ilegal, mas que dava bons resultados, dava, pois, o malandro ao passar a noite na cadeia tinha “tempo para pensar” e muitos deixavam de

reincidir, mas hoje como entram e saem da cadeia muito rápido, não tem medo da polícia nem da justiça.

E o que vemos? Aumento da violência.

Casso queiram mais informações sobre essa matéria ou desejem dar uma sugestão de matéria, mandem um e-mail para [email protected]

E nunca esqueçam, PREVENIR é sempre o melhor remédio.