Imagem FAO

Não é de hoje que o tema tem sido debatido. Um problema enorme a falta de alimento e consequentemente o desperdício é alvo de críticas, discussões e soluções.  Temos a capacidade de alimentar 5 bilhões de pessoas em um Planeta com 7 bilhões. A conta não fecha e daí?

Um tema sem dúvida muito amplo em que temos a possibilidade de soluções práticas plausíveis no curto, médio e longo prazo. Além de entendermos a importância de utilizar os espaços que temos para plantar, desde hortas comunitárias até a hidroponia vertical, temos muita possibilidade de ter comida fresca, de boa qualidade em pequenos espaços.Sem contar obviamente a produção em grandes áreas.

O desperdício tem sido debatido muito na hora de prepararmos os alimentos, o que de fato existe onde as pessoas de forma geral desperdiçam muito alimento. Mas o fato novo é que estudos comprovam que o maior desperdício está no processo produtivo, de colheita e transporte, sem contar o prazo de validade e utilização do mesmo.

No Brasil temos tudo em abundância, mesmo assim há um custo alto que poderia ser evitado e consequentemente alimentarmos melhor a população, de forma saudável. Bem como as pessoas que são desnutridas e ou não possuem condições mínimas de alimentação. Vamos repensar? Vamos economizar? Vamos brindar a saúde e vivermos com mais qualidade alimentar?

*Evandro Razzoto  é coordenador de Ciência e Tecnologia da SETI – Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Governo do Estado do Paraná. Professor da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), consultor e palestrante ambiental. Além disso, escreveu o livro Eco Sustentabilidade: Dicas para tornar você e sua empresa sustentável, em que fala principalmente sobre como conciliar os três pilares da sustentabilidade (crescimento econômico, responsabilidade social e preservação ambiental) na gestão e marketing das empresas