O artigo de hoje traz a possibilidade de novas perspectivas, então se você sente que sua vida podia ser melhor, este artigo é para você!

Geralmente, quando uma coisa chata acontece encaramos como exceção, não ficamos muito presos, alguns culpam o governo, mas segue-se. Quando acontece uma segunda vez, ainda assim a maioria de nós fica um pouco “p” da vida, mas segue.

Pixabay

Porém, quando as coisas negativas começam a acontecer quatro, cinco, sete vezes, isso desencadeia uma percepção, um sentimento de que há algo de errado, de que se está atraindo essas situações, e surge um padrão (diga-se de passagem caro leitor, um péssimo padrão).

Alguns exemplos de padrões, que eu vou chamar de destrutivos, são: (lembre-se, para ser um padrão precisa ser algo que acontece com repetição, 5… 7 vezes)

– perder prazos (para entrega de trabalhos, pagamento das contas, para tudo que tem uma data limite, impedindo o crescimento profissional e a qualidade dos relacionamentos);

se envolver em relações de abuso ou simplesmente com as pessoas erradas (aquelas pessoas que se dizem ter o “dedo podre” na hora de escolher um relacionamento, e se mantém fazendo isso repetidamente);

– desistência crônica (muita iniciativa e pouca acabativa, a pessoa que não conclui nada que inicia e, portanto, não consegue se desenvolver ou vencer em nada);

– excesso de impulsividade e impaciência (os que acabam sendo tachados de briguentos, invocados, violentos, nervosinhos… Como diz o ditado “metem os pés pelas mãos”, as consequências desse descontrole só vão aumentar se nada for feito para romper com o padrão.);

– negatividade/pessimismo (os que enxergam somente o que pode dar errado, e que, por consequência atraem isso para as próprias vidas na necessidade de validar seus pontos de vista).

Mas como criar novos e melhores padrões então?

Para desenvolver padrões construtivos é necessário, em primeiro lugar, a conscientização de que se está vivenciando e escolhendo um padrão que não é o que você deseja para sua vida.

Fato: brigar e entrar em combate com o padrão não é uma estratégia, além de drenar sua energia, vai criar um outro padrão destrutivo contra você mesmo. (pelamor não faça isso com sua vida)

Após a conscientização e aceitação de que você está agindo num padrão negativo é hora de descobrir o que desencadeia estas atitudes em você, encontrar a causa para poder solucioná-la.

Pode ser que, ao buscar as causas, você encontre uma que leve a mais de um padrão destrutivo, e trabalhando nesta causa, que geralmente é fruto de uma crença limitante, você irá se libertar de mais de um padrão indesejável (aí é lindo em!!).

Importante: ao buscar as causas foque em você e em seus comportamentos, pois se sair para a linha de buscar culpados ficará preso e perderá a chance de criar uma vida melhor (não fique irritado com isso caro leitor, mas a grande verdade é que: se você não fizer a sua parte as coisas não mudarão para você)

Lembre-se, você não precisa fazer isso sozinho, existem profissionais como eu que podem te ajudar muito nessa empreitada.

Sinta-se à vontade para me contar se isso fez sentido para você, é só clicar em: http://bit.ly/WhatsDaIsabelle e me enviar sua mensagem.

E a nossa tradicional pergunta da semana:

Qual tempo você tem dedicado a investir em seu desenvolvimento?

Contato:

Me acompanhe e empreenda sua vida.

Gostou desse artigo? Manda um e-mail contando para mim, quero ouvir a sua opinião.

Pode enviar também sua dúvida ou comentário, quem sabe posso fazer dela o tema de um artigo do blog!