O artigo de hoje vai trazer uma perspectiva positiva sobre limites, e “Palma, palma, não priemos cânico!”, ela nada tem a ver com matemática (e sim, a frase é do Chapolin Colorado rsrsrs).

Nem se trata do limite do cartão de crédito ou da conta, apesar de serem bem importantes, quem sabe outro dia falamos no assunto. Então agora relaxa, respira e “Sigam-me os bons” rsrsrs.

Os limites de que vamos tratar hoje são os nossos (e também das pessoas ao nosso redor). Todos temos limites. Eu tenho os meus, você tem os seus e aquela pessoa que você imagina que é perfeita tem os dela. Repito: todas as pessoas tem seus limites até mesmo a Rainha da Inglaterra (apenas Deus pode tudo de tudo, e mesmo Ele usa esses poderes com sabedoria).

Pixabay

Seres humanos tem limitações e habilidades diferentes uns dos outros, e isso é uma benção! Nossas diferenças são a essência e o equilíbrio do mundo, quer ver?

Imagina uma sociedade onde todo mundo fosse médico, não haveria quem plantasse comida, não haveria transporte, seria o caos! – até mesmo os hospitais, pois se todos fossem médicos não haveria ninguém para fazer a limpeza ou a comida dos pacientes.

Usei esse exemplo absurdo para chocar mesmo, pois as diferentes habilidades, vocações e desejos são justamente o que traz harmonia e equilíbrio.

Ahhh, esse tal equilíbrio que precisamos também é fruto da boa administração dos nossos limites.

Temos limites que precisamos aceitar e outros que, para crescer, devemos enfrentar.

A sabedoria para compreender qual é qual, e para lutar as batalhas que valem a pena, é que leva a termos eles a nosso favor.

Chapolin diria: “Todos os meus movimentos são friamente calculados” rsrsrs (e a gente sabe que isso é impossível na vida real de uma pessoa real)

Precisamos ter consciência e aceitar nossos limites reais para, então, ter a possibilidade de modificar o que está em nossas mãos modificar e melhorar o futuro.

Não se pode fugir dos acontecimentos, por mais desagradáveis e às vezes dolorosos que sejam, mas é possível sim olhar para eles, aceitar como são e decidir o que fazer daqui em frente.

Fato: Existem muitas coisas fora do nosso controle ou vontade, mas isso não pode ser motivo para fugir pro mundo da fantasia ou da revolta.

De nada adiantaria uma pessoa que quebrou um dedo não aceitar seu limite e sair jogar basquete, se fizer isso só vai piorar tudo, talvez quebrar outro dedo ou até mesmo criar um problema sem solução.

Algumas vezes projetos precisarão ser adiados, modificados e até mesmo trocados por outros, aceitar isso traz força para seguir adiante.

Aceitar um limite não significa se debruçar em cima dele ou fingir que é super legal. Significa compreender que o limite existe e que, apesar dele, você tem muitas outras escolhas que podem te levar a uma vida mais feliz.

Se você escolhe viver sofrendo por não poder algo, deixa de aproveitar milhares de outras coisas maravilhosas que você pode fazer.

Esteja aberto para o que a vida tem de melhor, aberto a novas ideias e possibilidades, aberto a outras alegrias e felicidades que independem dos limites que, hoje talvez, te façam sofrer.

Aceite os limites que você não pode modificar, e enfrente aqueles que você é capaz de vencer. Olhe para si com amor e tenha orgulho de quem você é com todos os limites e habilidades de agora.

Aceite a realidade e o mundo possível do agora, as coisas possíveis deste momento, e use sua energia, sua força e sua garra para fazer o melhor que puder daqui para frente.

Envia sua opinião ou sua dúvida no meu whats, é só clicar em http://bit.ly/WhatsIsabelle.

Fechando com chave de ouro vem a pergunta poderosa:

Você tem conhecimento dos seus limites reais e dos imaginários?

Contato:

Me acompanhe e empreenda sua vida.

Gostou desse artigo? Manda um e-mail contando para mim, quero ouvir a sua opinião.

Pode enviar também sua dúvida ou comentário, quem sabe posso fazer dela o tema de um artigo do blog!