Todo final de ano aqui em casa rola um destralhamento geral!! E todo ano a gente percebe quantas coisas estavam esquecidas pelos armários, algumas que acabamos ficando um ano inteiro sem usar, outras que já não servem mais ou que já estão virando o cabo da boa esperança, uns potes de sorvete para “se precisar” entulhando o armário, aquela coisa que você ganhou e nem sabe pra que serve mas deixa ali, até aquela lembrancinha daquele evento que é bonitinha… (mas ordinária por sua inutilidade).

A primeira coisa que eu tenho que confessar é que eu amo a sensação de ver a casa renovada depois desses dias de revisão geral com certeza, mas o processo em si, o durante, nem sempre é fácil, talvez até um pouco cansativo, até porque remexe com umas coisinhas guardadas também no nosso inconsciente.

É caro leitor, além do ambiente físico da casa e do trabalho rola também um destralhamento e organização mental nesse mesmo processo, ou seja, o saldo é sempre positivo!

Onde isso tudo começou na minha vida? Com o aprendizado do método 5 S lá escola quando eu era “criança pequena em Barbacena” rsrsrs (eu sei que você lembrou da escolinha do professor Raimundo… e não, eu não estudei lá rsrsrs, foi no Bom Jesus mesmo… saudade boa de lá!!).

E foi na semana passada, ao assistir a série da Marie Kondo na Netflix, que eu tive certeza que esse era o tema certo, aliás essencial, para aproveitar bem seu janeiro.

Então se você quer dizer chega pra bagunça e se livrar do que não faz mais sentido ou é inútil para você, dar uma de OLX na sua vida… vem comigo e desapega.

O que é destralhamento?

Até aqui acredito que você já sabe o que significa destralhamento, nada mais é que se livrar das tralhas que estão entupindo seus armários, seus cômodos, suas gavetas e por consequência a sua vida.

Como se faz?

Aqui vou explicar como eu faço e adicionar algumas dicas que aprendi com minha colega linda e especialista em organização Priscila Sabóia.

Primeiro você escolhe um cômodo para começar, depois uma parte dele, por exemplo no quarto você pode começar com o guarda-roupas (se ele for muito grande faça uma parte por dia).

Depois você define o que vai ficar, o que será reciclado (transformado em outra coisa, ajustado, consertado etc), o que vai vender, o que vai doar e o que vai descartar (essa é a menor pilha, pois você sempre pode ajudar alguém que tem menos que você com coisas úteis e em bom estado de uso).

Então você organiza as pilhas em caixas (dica: tem de graça nos supermercados e em algumas lojas), em sacolas ou um ultimo caso em sacos de lixo.

Eu particularmente uso sacolas (meu prédio não tem elevador, portanto são mais fáceis de descer as escadas… faz parte) e colo nelas etiquetas ou papeizinhos mesmo com durex informando o destino de cada uma.

Por último você leva cada uma delas a seu destino (o mais rápido possível pra não virar uma nova tralha), seja uma instituição, uma pessoa, a costureira, a pessoa que conserta, um brechó ou móveis usados ou a lixeira.

Quando começar? Qual o melhor momento?

Hoje mesmo! Se possível agora!

Lembra do perigo da “síndrome de daqui a pouco” rsrsrs (se não leu esse artigo dá um pulinho aqui pra conferir).

Não importa o quanto você vai conseguir fazer nesse momento, importa começar, mesmo que seja apenas com a primeira gaveta, se você se comprometer e persistir, em poucos dias terá concluído o guarda-roupas e logo logo a casa toda. Um passo de cada vez!

Eu me esforço bastante para manter a casa e o trabalho livres de tralhas no meu dia a dia, mas também preciso fazer um destralhamento profundo pelo menos uma vez no ano (prefiro dezembro ou janeiro), pois também acabo acumulando itens desnecessários sem perceber, eles se escondem kkkkkk… brincadeirinha, é que sou de carne e osso como você.

No meio do ano dou uma destralhada novamente na cozinha e nos itens/armários/gavetas de escritório, pois nesses lugares eu acabo precisando de mais vigilância (não sei você, mas eu tenho que cuidar com o acúmulo de papéis e potinhos).

Dica extra! – Para deixar a vida o mais livre possível de tralhas e bagunças diariamente.

Sempre antes guardar algo responda três perguntas:

Eu realmente preciso guardar isso ou posso dar outro destino a este item?

Eu vou usar isso de verdade? (nada de se enganar aqui hein, ter uma capivara no porta-malas do carro porque um dia pode vir a ser útil não dá não)

Será que esse item terá utilidade real aqui em casa/trabalho?

É fato que dá pra entrar nada onde não tem espaço, então…

Pratique o destralhamento e abra espaço para coisas novas e melhores entrarem em sua vida!

Contato:

Me acompanhe e empreenda sua vida.

Gostou desse artigo? Manda um e-mail contando para mim, quero ouvir a sua opinião.

Pode enviar também sua dúvida ou comentário, quem sabe posso fazer dela o tema de um artigo do blog!