O artigo de hoje é para lembrar a você (e a mim mesma) de dar um basta nesse veneno, que pode vir de fora ou mesmo de dentro. Segue a leitura que tudo vai ficar mais claro.

Infelizmente o mundo está cheio de pessoas especialistas em apontar erros, desconformidades, de criticar tudo que não gostam, não concordam, não acham bom o suficiente ou que não é perfeito (só um recadinho para lembrar SEMPRE: Perfeição não existe!).

Vou reforçar antes de continuar, seja para suas cobranças internas ou dos outros: ninguém é perfeito, nem você, muito menos eu, caro leitor (apesar de você ser diferenciado sim, afinal está aqui buscando evoluir).

Digo isso com muito amor, muito mesmo, pois a pior coisa na vida é exigir perfeição de si mesmo. Fazer isso é como ter um chicote em cada mão e se flagelar o tempo todo para atingir o impossível (eu sou prova viva disso, pois estou em processo de reduzir meu nível de auto-exigência há alguns anos, ele ainda é muito alto – não é nada fácil conviver com um carrasco dentro da gente).

Também é uma expectativa absurda exigir a perfeição dos outros, então, se perceber que faz isso, se coloque no lugar da outra pessoa antes de criticá-la.

Imagem: Pixabay.com

Não se torne escravo de si mesmo e não permita nunca que as críticas dos outros diminuam quem você é!

E nem venha tentando salvar o chicote chamando o destrutivo vício de criticar as pessoas como crítica construtiva. Por favor, não faça isso com os outros, só vai machucar e distanciar você da vítima das suas críticas (infelizmente também tenho grandes “cicatrizes” por ser cobrada demais, algumas ainda doem, então digo por vivência mesmo: Chega disso!).

Críticas não constroem, elas destroem! Não existe isso de crítica construtiva! Crítica é crítica e ponto.

Calma, continua a leitura que tem algo muito positivo que pode ser feito.

Construtivo é incentivar as pessoas, reconhecer seus esforços, assim elas vão se sentir motivadas a evoluir ainda mais.

Construtivo também é ajudar – isso claro se a pessoa estiver querendo sua ajuda- é sentar com a pessoa e ensinar uma nova forma para que ela tenha escolhas.

Incentive sempre!

Um lembrete: sua forma de fazer as coisas não é a única que existe! – então deixe o outro se expressar e encontrar a dele.

Mostrar seu ponto de vista pode ser útil sim, desde que ele não seja uma crítica mascarada. Saia da prisão do certo e errado, preto ou branco, 8 ou 80, a vida leve e alegre acontece no meio, não nos extremos.

Agora que você entendeu a mecânica, faça um exercício de autopercepção:

Anote durante pelo menos 1 dia inteiro uma palavra ou frase sobre cada crítica que você fizer, falada ou pensada, e também sobre as que receber dos outros (seja honesto, só você vai saber disso).

O objetivo não é usar isso para se criticar e se culpar, de jeito nenhum! Esse exercício é uma forma de colocar luz nos fatos.

Ao final do dia olhe para suas anotações e veja o que elas dizem para você, avalie seu modo de agir em relação a si mesmo e aos outros, avalie como se sentiu com as críticas que recebeu.

Se perceber que está mergulhado em autocríticas ou que está sendo tomado pelas críticas alheias até o pescoço… Coloque limites, diga chega, escolha deixar de ser sufocado pelas críticas e se liberte para viver mais leve, para que a sua essência e sua criatividade possam fluir.

Que a leveza possa ser cada vez mais presente!

Tem alguma dúvida ou comentário envia um whats clicando nesse link: http://bit.ly/WhatsIsabelle adoro ler as opiniões de vocês.

Para acompanhar mais me segue no instagram @isabellefeichas ou pelo link https://www.instagram.com/isabellefeichas/ .

Até a próxima!

 

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Banda B.


Contato:

Me acompanhe e empreenda sua vida. Gostou desse artigo? Manda um e-mail contando para mim, quero ouvir a sua opinião.Pode enviar também sua dúvida ou comentário, quem sabe posso fazer dela o tema de um artigo do blog!

Contato: [email protected]