Silvio Barros e Coronel Audilene Rocha: “chapa ideal”

Na sexta-feira (24), em breve entrevista telefônica com o ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros, consegui dele apenas uma manifestação sobre o convite do governo para o irmão, Ricardo, para assumir a liderança de Bolsonaro na Câmara dos Deputados: “Ele está acostumado com abacaxis…”

Silvio, que por três vezes foi secretário de Estado do Paraná, não se mostrou nada animado com a perspectiva de ser candidato à Prefeitura de Maringá, pelo PP. Disse, na verdade, preferir que a chapa em elaboração pelo partido preveja a titularidade para a Coronel Audilene Rocha; e ele como vice. Seria, opina, a melhor solução.

Planejamento do futuro

Com um certo cansaço com a vida partidária, Silvio foi muito claro ao explicar parte de seu pouco interesse em concorrer de novo a prefeito: acha que a população da cidade, na maioria, quer respostas imediatas, e não partilha de sua visão de planejamento do futuro: “Hoje o eleitor que respostas para já”.

Explicou: toda sua proposta de trabalho, aquela que desenvolve também como consultor de cidades (como a que realiza para a Associação Comercial de Santos) objetiva “a mobilização das lideranças da sociedade”, assunto que, acredita, não tem apelo eleitoral.

 

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Banda B.


Leia mais em www.aroldomura.com.br