Movimento Universitário de Desenvolvimento Econômico e Social (MUDES) vai expandir para diversos estados realizações hoje centradas no Rio de Janeiro.

Cleto de Assis, presidente da Fundação Mudes, organização criada há mais de 50 anos pelo ex-ministro e ex-governador Ney Braga, planeja uma nova dinâmica para a entidade, a começar pela modernização de seus estatutos sociais, em fase final de análise pelo Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro, onde a Mudes está sediada. Ao batizar o próximo período administrativo de 2020 como o “Ano da Visibilidade”, Cleto quer expandir as atividades da fundação a outras unidades federativas brasileiras, a começar pela reestruturação do polo de São Paulo e a implantação do polo do Paraná.

Cleto de Assis: planos para o Paraná (foto: Annelize Tozetto)

 

DEMANDAS DOS JOVENS

No Paraná, a Fundação Mudes irá inaugurar um novo feitio de apoio à sua clientela jovem, com uma Casa da Juventude, onde, além dos tradicionais programas de estágio, aprendizes, trainee e apoio a pessoas com deficiência, os jovens serão atendidos em outras demandas sociais, como orientação à saúde preventiva, introdução à informática e tudo o que disser respeito à inserção ao mundo do trabalho.

JUVENTUDE MERCOSUL

Também o Paraná, no próximo ano, deverá receber o primeiro encontro da juventude do Mercosul, reunindo lideranças e autoridades do setor, em um momento em que a América Latina passa por diversos conflitos sociais e políticos. O projeto já foi apresentado à Secretaria Nacional da Juventude, em Brasília, onde Cleto reuniu-se com a atual Secretária, a catarinense Jayana Nicaretta da Silva. Na mesma trajetória, o presidente da Mudes apresentou o projeto do encontro ao Superintendente do Ensino Superior do Paraná, prof. Aldo Bona e, em seguida, será feito convite de parceria à Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, que também reúne várias políticas públicas de apoio à juventude.

O presidente do Mudes, Cleto de Assis, é professor de Letras, tradutor do Espanhol, foi secretário de Imprensa do segundo governo Ney Braga e diretor do MEC nos governos Collor e Itamar Franco, em Brasília. Também é artista plástico de amplo reconhecimento.

Clique aqui para ler a coluna completa do Blog Aroldo Murá.