A Porto de Cima Concessões, subsidiária da JMalucelli concluiu, nesta terça-feira (4) a aquisição das ações detidas pela empresa holandesa Arcadis NV (Líder Global em Design & Consultancy, com 3,5 bilhões de euros de faturamento receita bruta em 2019), de sua subsidiaria ALEN – Arcadis Logos Energia S/A.

As empresas eram sócias e, com a aquisição, a Porto de Cima passa a ter o controle das operações. Esta aquisição possibilita à JMalucelli ampliar sua presença no setor de Gás Natural Renovável, passando a explorar Biogás em 6 aterros sanitários nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, posicionando-se assim, entre os 4 maiores produtores de gás “on shore” no Brasil e o maior produtor de Biogás do país com 1.150.000 Nm3/dia de biogás processado.

 

Porto de cima

“Só no que se refere à parte de geração de energia (limpa) dos nossos aterros, já temos 53mw de capacidade instalada”, pontua o presidente do Conselho da Porto e Cima, Rodrigo Nicoletti. Em termos de potência, a Porto de Cima tem capacidade equivalente ao fornecimento de energia elétrica para atender uma população estimada de 1,4 milhões de habitantes, acrescentou.

Segundo ele, o setor de Gás Natural Renovável (Biogás e Biometano) vem em franca expansão no país e com vantagens ambientais claras, entre elas 90% de redução de emissão de CO2 em relação ao gás natural de origem fóssil. “Nosso Biogás é formado pela decomposição biológica da fração orgânica presente nos resíduos urbanos que são levados para aterros sanitários”, informa Nicoletti.

 

Biometano

A captação do Biogás é feita por dutos e, na sequência, processados, podendo ser transformados diretamente em energia elétrica, ou tratados e vendidos como combustível renovável homologado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), chamado Biometano.

A Porto de Cima já fornece biometano para grandes indústrias no Rio de Janeiro e também já possui parcerias para atender redes de postos de combustíveis no Estado, além de já fornecer energia elétrica limpa ao mercado. No Estado de São Paulo, as operações estão concentradas somente no processamento do biogás para geração de energia elétrica.

 

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Banda B.


Leia mais em www.aroldomura.com.br