A Homeopatia, reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina, e que tem no Brasil grande aceitação e apóstolos dedicados aos princípios defendidos por Hahnemann, está vivendo momentos difíceis. Pode-se mesmo dizer que está numa encruzilhada, sendo duramente questionados até mesmo na Alemanha, onde nasceu no século 19.

Iso Fischer: Homeopatia, uma opção (foto: Annelize Tozetto)

E mais: naquele país, as autoridades e o mundo científico se movimentam para excluir a Homeopatia de qualquer reconhecimento oficial. O mesmo está ocorrendo nos Estados Unidos. As grandes definições em defesa da Homeopatia foram feitas pela Suíça, em 2012.

UM RESISTENTE

Iso Fischer, médico homeopata, formado pela USP, um intelectual de forte expressão – compositor com músicas executadas, por exemplo, por Nanna Caymmi e Ivan Lins – é um resistente. Tem mil e um argumentos para defender os princípios de Samuel Hahnemann.

Ele preside a Sociedade Homeopática do Paraná, que funciona na Associação Médica do Paraná.

XAVIER GAMARRA

Iso não se mostra abalado com a nova onda, ele que foi formado homeopata sob a orientação do histórico médico paraguaio doutor Xavier Gamarra. E mais: este ano, Fischer fez parte de um grande grupo de médicos brasileiros, 70 profissionais, que ampliaram seus conhecimentos na Índia na The Other Academy.

Esta recente experiência de Fischer na Índia, apenas reforçou uma das respostas que ele tem para as dúvidas sobre a eficácia da Homeopatia: a especialidade apresenta resultados surpreendentes, mais facilmente constatados em países onde há hospitais voltados à especialidade, assegura.

Tais hospitais não existem no Brasil. Eles permitem o acompanhamento de recuperações “quase milagrosas” de casos patológicos “desenganados” pela Alopatia. Tudo documentado nos passos do pré e pós tratamento.

Exemplos que cita: caso de recuperação de rim não funcionante em paciente renal crônico, casos de câncer de diversas localizações, casos de coma em crianças e adultos.

A DEFESA

A defesa da Homeopatia que Fischer faz é um dos pontos altos de seu perfil presente no volume 11 de meu livro Vozes do Paraná, que lançarei na segunda, 12.

Fischer, diante de um testemunho de vida de pelo menos 35 anos dedicado à Homeopatia, até acha engraçado que se tente qualificar a especialidade com placebo…

Clique aqui para ler a coluna completa do blog Aroldo Murá.