No primeiro episódio, Fernando Andreote, professor da Esalq/USP conversou com Rodrigo Mendes, Chefe de P&D da Embrapa Meio Ambiente, sobre o estado da arte da microbiologia na agricultura. “Discutimos os avanços tecnológicos recentes que permitiram descobertas sem precedentes relacionadas ao microbioma da planta, como por exemplo, a capacidade das plantas em organizar os microrganismos da rizosfera para protegerem as raízes contra a infecção de patógenos. Na interação com a audiência, conversamos sobre o futuro do uso de inoculantes na agricultura e sobre o potencial do manejo biológico do solo para uma agricultura mais sustentável”, destaca Mendes.

Programa social

A regulamentação dos bioinsumos e o Programa Nacional de Bioinsumos, foram analisados em 4 de agosto, por Marcelo Morandi, chefe-geral da Embrapa Meio Ambiente, Francys Vilella da consultoria CESIS Assessoria e Treinamento Ltda., Mariane Vidal da Coordenação de Bioinsumos do Mapa e Amália Borsari da CropLife Brasil.

Conforme Morandi, a live permitiu “uma rica discussão sobre a evolução do desenvolvimento, regulamentação e uso de bioinsumos no Brasil, que agora tem um novo e forte incentivo com o Programa Bioinsumos, que permitirá novos investimentos tanto na pesquisa quanto na produção de insumos biológicos para a agricultura brasileira”.

Controle da doença

Na sequência, na live 3, foi abordado como é importante compreender o modo com que os agentes de biocontrole atuam no controle de doenças, como destacou o pesquisador Bernardo Vieira. Os exemplos comentados referentes aos trabalhos realizados por um dos grupos de pesquisa mostram que as bactérias e leveduras podem atuar por diferentes modos, cada qual com sua particularidade. A mensagem transmitida foi que definir quais os modos mais eficazes de atuação dos agentes de controle biológico, faz com que a busca por novos bioinsumos seja mais efetiva.

Marcelo Morandi, chefe-geral da Embrapa Meio Ambiente. Foto: Maria Clara Guaraldo

Meio-ambiente

Para Katia Nechet, um dos destaques foi a oportunidade de divulgar as pesquisas em andamento na Embrapa Meio Ambiente com bioinsumos, para um público bem maior e diversificado. Outro ponto também importante foi mostrar que a Unidade trabalha para oferecer bioinsumos ainda não disponíveis para os produtores, como para controle de planta daninhas.

Forte demanda

Hoje, segundo Paula, a crescente demanda por soluções sustentáveis em diferentes segmentos do setor produtivo, alinhadas ao potencial da biodiversidade brasileira como fonte de material prima, balizaram as pesquisas e fomentaram a revolução de inovações no segmento de bioinsumos, fortalecendo a bioeconomia do Brasil.

No lançamento do Programa Nacional de Bioinsumos, Cleber Soares pontuou que “o setor produtivo e o mundo clamam por mais tecnologias sustentáveis. Temos na agricultura a base da nossa economia e a bioeconomia será a grande alavanca para manter o Brasil como protagonista no agronegócio global”.

O tema abordado pelo pesquisador Itamar Melo foi a bioprospecção para descoberta de novos bioinsumos. Conforme ele, “os maiores gargalos que limitam a produtividade agrícola estão relacionados aos efeitos abióticos”, uma vez que estes têm sido agravados com as mudanças climáticas. “Mais importante ainda, foi mostrar as ideias e abordagens estratégicas inovadoras para se obter microrganismos com atividades multifuncionais, bem como abrir para parcerias com empresas do setor, numa frente de inovação aberta.

Todos os episódios estão disponíveis para serem acessados no canal do YouTube da Embrapa. Até 20 de agosto, foram mais de 8.200 visualizações.

*Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Banda B.


Leia mais em www.aroldomura.com.br