Uma série de benefícios para conquistá-las para o volante, como dispensa de cartão para alugar carros.

Glaucia Stocki, de Maringá, mostra com orgulho o troféu e a estrela dourada que recebeu do Uber / Arquivo pessoal

 

Logo depois que Jaime Lerner gerou a revolução urbana que transformou Curitiba num ícone internacional, nos anos 1970, a Capital paranaense começaria também a ser ponto de partida obrigatório para pesquisas mercadológicas. O que dava certo em Curitiba, daria certo no resto país, era o raciocínio do marketing.

EXPERIMENTAL

Assim, produtos de ponta e de largo consumo – ou também os muito refinados – só eram lançados depois do “placet”, a aprovação do mercado curitibano. Nada escapava: sapatos, creme dental, marca de automóvel, perfumes, roteiros turísticos internacionais…

AINDA É PILOTO

A cidade continua sendo “piloto” para o universo do marketing. Só que agora, tenho observado, Curitiba vai ganhando cidades parceiras. Tal como observo, por exemplo, com a informação de que o Uber Brasil vai lançar, nos próximos dias, uma plataforma que permitirá que motoristas mulheres façam apenas corridas com passageiras.

CAMPINAS E FORTALEZA

A inovação, chamada de Uber-Elas, começará a operar a partir de Curitiba, Campinas (SP) e Fortaleza. A iniciativa, tida como inédita no mundo, deverá chegar em 2020 a outras cidades brasileiras

MUITO POUCO

O Uber, que nunca brincou em serviço, teria chegado a nova plataforma diante desta realidade: “dos 600 mil motoristas do aplicativo no Brasil, apenas 6% são mulheres”, afirma Claudia Woods, diretora-executiva da Uber no Brasil.

PARA ATRAIR

Entre as medidas que o Uber tomará para atrair mulheres motoristas: renda mínima para as 100 primeiras corridas, que vai variar de R$ 1,5 a 1,6 mil, dependendo da cidade…

O Uber anunciou também uma parceria com a Hertz Localiza para oferecer condições especiais para que mulheres possam alugar veículos para trabalhar.

E mais: o aplicativo dispensará a exigência de cartão de crédito, e os preços serão inferiores aos regulares da empresa (Hertz).

Clique aqui para ler a coluna completa do Blog Aroldo Murá.