Fábio Campana e Beto Preto.

Nesta sexta, 12, o jornalista Fábio Campana, uma das melhores memórias do Paraná – com concentração no século 20 – tecia elogios ao secretário de Saúde, Beto Preto. Acha que a conduta desse gestor da saúde pública é exemplar, até porque não tem “rabo preso”, não participa de malversação do dinheiro público em nenhuma situação. Muito menos na pandemia, assunto que desempenha “muito positivamente além do esperado”.

Campana, há muitos anos ardente defensor de postulados democráticos e soluções liberais para a economia do país, foi militante de proa do antigo PC do B, nos anos da ditadura militar. Tempos em que, recorda, conheceu, em diversos encontros “ecumênicos” líderes do Partidão (PCB).

Um deles, o pai de Beto Preto, recorda, citando-o como “homem com profundo comprometimento com os interesses do Brasil”.