Existem muitos benefícios físicos, psicológicos e sociais que são obtidos ao sermos mais agradecidos

Gratidão: Fonte de saúde (Diego Cervo – Shutterstock)

“O brigado por hoje”, independentemente de ter sido um dia bom ou ruim.

Jesus falava constantemente sobre a gratidão. Encontrei um belo exemplo na parábola dos leprosos. Uma vez curados, apenas um deles voltou para procurar Jesus. Ele se sentia profundamente agradecido e voltou “louvando a Deus em voz alta”. Quando encontrou Jesus, caiu a seus pés e agradeceu.

Quando o escritor Albert Camus ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, escreveu uma carta ao seu antigo professor para agradecer: “Prezado Sr. Germain, esperei (…) antes de falar com você de coração (…), sem você, sem seu ensino e exemplo, nada disso teria acontecido”.

Este é o significado da gratidão a que nos referimos. É uma atitude que denota profundo reconhecimento e generosidade no ato de incluir o outro como participante da conquista e compartilhar o mérito de alcançá-la.

Uma pesquisa de Amit Kumar e Nicholas Epley, da Booth School of Business da Universidade de Chicago, concluiu que a gratidão tem efeitos benéficos no relacionamento com a família e amigos, no trabalho e até quando se faz negócios: “Expressar agradecimento melhora o bem-estar de quem agradece e de quem recebe”.

Nessas ocasiões, a alma fala. A gratidão e a expressão de gratidão são atos de fé, de dedicação, de generosidade e reconhecimento por tudo o que a vida nos dá.

 

POR QUE A GRATIDÃO É BOA?

“Why gratitude is good” é o título do estudo realizado pelo Dr. Robert Emmons, do Greater Good Science Center da Universidade da Califórnia.

Sua principal conclusão é que a gratidão é boa para nossos corpos, nossas mentes e nossos relacionamentos. Mas a gratidão ser “uma coisa boa” não significa que é sempre fácil praticá-la. Às vezes, pode-se até ficar bloqueado porque uma discordância se manifesta com nosso estado psicológico.

A Fundação John Templeton concedeu à Universidade da Califórnia uma doação de 5,9 milhões de dólares para o projeto de pesquisa “Expandindo a Ciência e a Prática da Gratidão”. De acordo com os pesquisadores, aqueles que praticam gratidão têm menos sintomas de doença – incluindo depressão – mais otimismo e felicidade, relacionamentos mais estáveis, comportamentos mais generosos e muitos outros benefícios.

A Dra. Rébecca Shankland, autora de “Los poderes de la gratitud”, destaca que, por exemplo, em estágios da vida especialmente difíceis, como a morte de um ente querido, uma doença ou qualquer outra circunstância que envolva um alto nível de sofrimento, a gratidão pode ser um pilar para valorizar tudo o que recebemos daquela pessoa ou pessoas que nos apoiaram e nos acompanharam durante esse processo.

A gratidão também é uma emoção ligada à religião. Damos graças a Deus sempre.

De fato, a gratidão é uma virtude que traz benefícios para nós mesmos e para aqueles que a recebem. Os estudos realizados pelo Greater Good Science Center mostram benefícios físicos, psicológicos e sociais que nos incentivam a praticá-la.

 

AGRADECENDO AS COISAS COTIDIANAS

Para cultivar e crescer na arte de praticar a gratidão, Robert Emmons propõe fazer uma lista semanal de cinco coisas pelas quais você é grato. Essa prática ajuda porque, intencionalmente, concentramos nossa atenção na identificação de pensamentos agradecidos e na eliminação de pensamentos ingratos. Além disso, o autor diz que ajuda a nos proteger contra o pensamento de tomar as coisas como garantidas e aprender a reconhecer e valorizar “os presentes” que a vida nos dá.

Para ler a coluna completa do Blog Aroldo murá, clique aqui.