O ex-presidente e hoje ex-presidiário Luis Ignacio Lula da Silva foi considerado culpado pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na ação do famoso sítio de Atibaia. Ele terá que cumprir 17 anos, um mês e 10 dias de prisão.

Faz tanto tempo que essa história começou, mas será que alguém ainda se lembra do tal sítio?

Vamos relembrar um pouco.

O ex-proletário e ex-dirigente sindical quando se tornou presidente da República pulou de patamar.

Ex-presidente Lula – (Foto: Cassiano Rosário/Futura Press/Folhapress)

Virou celebridade e milionário de uma hora para outra.

Como ele não ganhou na megasena ficava difícil explicar para os antigos companheiros que luta sindical da onde vieram tantos luxos. A solução encontrada pela turma foi esconder os bens em nomes de terceiros ou de laranjas.

O tal sítio ficou em nome de um antigo e confidente amigo mas quando foi “comprado”não estava em condições de receber aquela celebridade. Foi que entraram em campo os “novos amigos”, que eram os donos das maiores empreiteiras do Brasil.

Craques na arte da corrupção, mestres em driblar as autoridades policiais, eles “financiaram” as reformas que o novo morador queria. Piscina, adega, lago, pedalinho, churrasqueira, cozinha equipada, tudo do bom e do melhor, nada menos que a celebridade merecia.

Quando foram pegos com a “boca na butija”a então celebridade culpa a falecida esposa pelas obras que ele dizia desconhecer, no sítio que ele “não”sabia onde ficava.

Condenado pelo então juiz Sergio Moro, a celebridade recorre da decisão, ao Tribunal Regional Federal situado em Porto Alegre. Recurso negado e a pena aumentada para 17 anos, um mês e 10 dias de prisão.

Como todo bom criminoso a celebridade em questão grita e esperneia. Os amigos da Suprema Corte começam a mexer as suas togas negras dizendo que pegaram muito pesado com o pobre homem, num claro movimento a caminho da impunidade.

Lula nesse desfruta da insegurança jurídica vigente no nosso país. A cada hora as cortes superiores, Supremo Tribunal Federal e Superior Tribunal de Justiça, mudam decisões e entendimentos, que deixam o país à deriva, já que hoje as coisas são de um jeito, mas amanhã tudo pode ser diferente, vai depender do humor dos tribunais judiciais.

Enquanto isso vida que segue e os brasileiros, alheios a tudo, aproveitam as promoções da black friday. Segue o baile e vamos onde tudo isso vai dar…

* Alexandre Teixeira
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná e pós graduado em gestão pela Fundação Getúlio Vargas.

Tem passagens por diversos veículos de comunicação, como TV Bandeirantes, TV OM (hoje CNT) e Gazeta do Povo, onde permaneceu por 11 anos.