A única expressão que me vem à cabeça é : “desrespeito com o povo”

Como é possível no apagar das luzes os deputados federais brasileiros votarem por mudanças nas regras eleitorais que segundo especialistas permitem o Caixa 2.

Alguns deputados acham que o Brasil não mudou, que a Lava Jato já acabou ou nunca existiu, que um ex-presidente passa férias em Curitiba ao invés de cumprir pena por corrupção na carceragem da Polícia Federal.

Esses mesmos deputados querem que os seus advogados possam receber dinheiro do Fundo Eleitoral sem limites de gastos. Isso permitiria pagamentos superiores aos valores acordados e o saldo dessa operação seria utilizado como Caixa 2 de campanha.

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Os poucos deputados com consciência coletiva tentaram mudar a ideia dos seus colegas mas não conseguiram. Agora pedem para o Presidente Jair Bolsonaro vetar as mudanças aprovadas na calada da noite.

Bolsonaro, refém do Congresso Nacional por conta da inabilidade de trato, dificilmente terá condições de “peitar”os parlamentares.

O presidente depende do Congresso para governar e por conta disso fica difícil para ele dizer não aos seus antigos companheiros da Câmara dos Deputados.

Se existe algo pior que abrir a possibilidade de voltar o Caixa 2 é aumentar o valor do tal Fundo Eleitoral que hoje está na casa de um bilhão e setecentos milhões de reais.

Rodrigo Maia, o deputado carioca que já está de olho na sucessão de Bolsonaro, diz para a imprensa que é contra o aumento do valor, mas foi ele, como presidente da Câmara, que permitiu aos líderes partidários a manobra para as mudanças na lei.

Esse é o jogo, para a opinião pública um discurso, para os colegas deputados a fala é outra.

Enquanto isso, eu, você, nós brasileiros, vemos um bilhão e setecentos milhões de reais serem usados para eleger e reeleger gente que só pensa no seu próprio bem.

Será que o Brasil não seria melhor se esse dinheiro fosse investido em saúde, educação e segurança pública?

Por que não adotamos o sistema americano, onde os partidos buscam doações entre aqueles que os apoiam, essas doações são declaradas, e graças à transparência todo sabem quem doou, para quem doou e quem defende quem nas questões do legislativo.

Nesta quinta-feira (19),  a Polícia Federal amanheceu no Congresso Nacional, fazendo buscas e apreensão no gabinete de um senador e de um deputado, pai e filho, investigados por desvios em obras da famosa transposição do Rio São Francisco.

Temos um problema aqui no Brasil, parece que tem mais gente que gosta de varrer a sujeira para baixo do tapete, do que gente que gosta de manter a casa limpa e em ordem.

Que Deus nos proteja.

 

* Alexandre Teixeira
Jornalista formado pela Universidade Federal do Paraná e pós graduado em gestão pela Fundação Getúlio Vargas.

Tem passagens por diversos veículos de comunicação, como TV Bandeirantes, TV OM (hoje CNT) e Gazeta do Povo, onde permaneceu por 11 anos.