Reprodução Facebook
Clemans morreu com vários golpes de faca

A Delegacia de Homicídios de Curitiba (DH) trabalha com três hipóteses para a morte da empresária Clemans Abujamra, de 51 anos, que aconteceu no último dia 27, na região do bairro Batel, em Curitiba.

Segundo o delegado Rubens Recalcatti, da DH, a primeira tem relação a um processo no qual a vítima disputava uma fábrica de papel, da qual era herdeira, junta com as irmãs, em Santa Catarina.

A segunda hipótese é que o crime tenha sido cometido por alguém próximo a ela, como motivação desconhecida.

Já a terceira tese seria a possível ação de um maníaco que tenha sequestrado Clemans para cometer algum tipo de abuso.

“Nesta semana ouvimos novamente testemunhas e parentes da vítima. Além disto, estamos recebendo novas imagens dos últimos momentos da empresária. Temos três linhas de investigações e nenhuma delas pode ser descartada. Parte de nossa equipe está empenhada neste caso e acredito que em breve poderemos ter novidades com relação a este crime”, afirmou o delegado à Banda B.

O caso

Segundo a polícia, Clemans saiu da casa em que morava no bairro Bigorrilho, às 10h de sábado, dia 27, e não foi mais vista. O corpo dela foi encontrado dois dias depois. Ela morreu com vários golpes de faca.