Um vigilante de uma empresa de segurança particular foi preso pela Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba (DFR), nesta sexta-feira (22), acusado de participar do assalto a uma lotérica em Curitiba e levar mais de R$ 40 mil durante o roubo. A ação criminosa aconteceu durante o feriado de Carnaval depois que o sistema de alarme do estabelecimento foi furtado.

Antônio Nascimento – Banda B
Pereira deveria ter feito a segurança do local

Segundo a DFR, Fernando Pereira dos Santos, de 35 anos, foi designado para fazer a segurança do local e de ‘herói’ tornou-se ‘vilão’. Durante a apresentação do suspeito, o delegado Amarildo Antunes, da DFR, fez duras criticas a algumas empresas de segurança: “Precisam mudar a metodologia”.

O crime

Usando a expressão popular neste caso quem cuidava do galinheiro era a raposa. Ao perceber a vulnerabilidade da lotérica, o vigilante resolveu, com outros comparsas, assaltar o comércio. “Quando voltou a trabalhar na Quarta-feira de Cinzas a proprietária encontrou o local revirado e com um buraco na parede. Pelas câmeras de segurança conseguimos ver o momento em que este vigilante desliga as filmagens para dar início ao roubo”, destacou o delegado Antunes.

“Fizemos investigações depois do reconhecimento dele e conseguimos prendê-lo. O Pereira é alguém perigoso e já com antecedentes no mundo do crime”, complementou.

Criticas

Durante a apresentação do suspeito o delegado da DFR fez criticas as empresas de segurança particular. Segundo Antunes, elas precisam se remodelar. “O que chamamos a atenção é que algumas empresas de vigilância estão falhando no sistema de segurança. Elas precisam mudar a metodologia na contratação de funcionários e em várias outras questões. Algumas empresas dizem que vão fazer inspeção e não vão, enfim, são vários erros”, apontou.

Investigações

Com a prisão de Pereira, os investigadores da DFR prometem novas diligências para prender outros suspeitos de participação no crime.