Uma jovem de 24 anos e dois irmãos, de 24 e 27 anos, suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em furtos e roubos a bancos e também arrombamentos a cofres de estabelecimentos comerciais, foram presos no final da tarde de quinta-feira (10), no bairro Orleans, em Curitiba. A prisão foi realizada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope).

Com os suspeitos, a polícia apreendeu diversos equipamentos utilizados para arrombar agências bancárias e demais locais, bem como para realizar cortes em cofres, além de uma espingarda de calibre 12, um simulacro de arma de fogo e uma maleta bloqueadora de sinais. “Esse equipamento custa, em média, R$70 mil. Foi a primeira maleta apreendida no Paraná”, afirma o delegado-titular da unidade, Rodrigo Brown, acrescentando que dois veículos, sendo uma BMW e um i30, também foram apreendidos na ação policial.

Os policiais chegaram até o trio durante investigações realizadas para apurar furtos em agências bancárias ocorridos recentemente em Curitiba. No decorrer das diligências, a equipe recebeu informações de que pessoas envolvidas com essa prática criminosa estariam deslocando-se para o Estado de Santa Catarina (SC), com o intuito de cometer o crime naquela região.

Diante disso, a equipe intensificou os trabalhos de inteligência e, ao identificar o trio, descobriu que, na última quarta-feira (09), os suspeitos tentaram arrombar o cofre de uma loja de departamentos, na cidade de Chapecó (SC). “Entretanto, eles acabaram tendo que deixar o local antes de conseguir levar algo”, conta Brown.

Ao identificar os suspeitos e a possível ligação deles com os crimes, a equipe localizou o endereço do trio. “Eles moravam no bairro Orleans e possuíam uma loja de materiais de construções no local, situada na Rua Toaldo Túlio, a qual era utilizada para lavagem de dinheiro”, informa o delegado.

Em posse das informações, a equipe realizou a prisão em flagrante do trio, que não reagiu a prisão e também nada alegou à polícia. Todos foram autuados em flagrante por associação criminosa, posse de arma de fogo com numeração raspado, posse de munições de uso permitido e crime contra a comunicação.

Todos encontram-se presos à disposição da Justiça.