Redação com agências

brasileiras-mortas-em-portugal

As brasileiras Lidiana, Michele e Thayane. Reprodução

Três brasileiras que estavam desaparecidas desde janeiro foram encontradas mortas, nesta sexta-feira, 26, no fundo de um tanque, em um hospital veterinário de Cascais, a 25 quilômetros de Lisboa, em Portugal. As jovens foram identificadas como Michele Santana Ferreira, de 28 anos, que estava grávida, Lidiana Neves Santana, de 16, e Thayane Milla Mendes, de 21.  O namorado de uma das meninas teria confessado o crime.

Michele e Lidiana eram irmãs, nascidas em Minas Gerais. A capixaba Thayane era amiga delas. O namorado brasileiro de Michele, Dinai Gomes, morava e trabalhava em Cascais, no hotel para cachorros onde os corpos foram encontrados.
A Polícia Judiciária de Portugal  foi avisada sobre a localização dos corpos pela Interpol após Dinai confessar o crime à Polícia Federal no Brasil.

A mãe das irmãs, a auxiliar de serviços gerais Solange Santana Leite, 50, disse que recebeu a notícia da morte das filhas por uma amiga que mora em Portugal. De acordo com ela, Michele morava em Lisboa há nove anos com o brasileiro com quem mantinha um relacionamento.

No fim do ano passado, Lidiana foi morar com a irmã e, em janeiro, Thayane também viajou para Portugal. A amiga chegou a Lisboa pouco antes do desaparecimento, no dia 28 de janeiro de 2016. Solange perdeu o contato com as três e pediu informações ao namorado da filha mais velha.

”Ele disse que elas estavam bem e que iriam para Londres. Ele disse que Michele tinha largado o emprego [de faxineira] e saído do Facebook para não ser encontrada pela ex-patroa. Mas eu desconfio dessa história”, afirmou a auxiliar de serviços gerais em entrevista ao jornal Extra.

De acordo com informações apuradas, o namorado de Michele voltou para Minas Gerais sem Michele, deixando a família em alerta.  O desaparecimento das jovens foi reportado à Interpol no dia 11 de fevereiro. Familiares tentaram contato, mas os celulares das vítimas estavam desligados e as contas do Facebook haviam sido apagadas.

A polícia acredita que a chegada a Portugal da ex-mulher de Dinai o deixou em pânico, pois mantinha o relacionamento em segredo. De acordo com as declarações de uma amiga das três mulheres, Michelle vivia assustada. “Ela já me tinha dito que tinha de ter muito cuidado. O Dinai já lhe tinha dito que, se ela engravidasse, a mataria e desapareceria com o corpo”.