Por Luiz Henrique de Oliveira e Antônio Nascimento

torres1Crimes são constantes na Vila Torres e desta vez a vítima foi um menino de sete anos (Foto: Juliano Cunha – Banda B)

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa de Curitiba (DHPP) já sabe quem são os responsáveis pela morte do pequeno Cauê da Silva da Cruz, de sete anos. O garoto foi assassinado na Vila Torres, no bairro Prado Velho, em Curitiba, na tarde deste domingo (3), no momento em que voltava com a mãe de um supermercado. Segundo o delegado Fábio Amaro, da DHPP, mais uma vez a briga entre a ‘Gangue de Baixo’ e a de ‘Cima’ foi o ‘pano de fundo’ para a tragédia.

“A família morava onde fica a ‘Gangue de Baixo’ e teria se mudado para o local da ‘Gangue de Cima’ recentemente. Eles tinham saído de lá por alguma dívida que tinham adquirido e acreditamos que essa seja a motivação, além da mudança de lado. O menino e a família não teriam envolvimento com o tráfico, mas os marginais foram para matá-lo, assim como a mãe dele também”, explicou à Banda B o delegado.

Segundo Amaro, os suspeitos do crime estão identificados e devem ser presos nas próximas horas. “Um deles recentemente esteve preso, mas infelizmente foi colocado em liberdade. Queremos prendê-los para ter a certeza que a motivação foi essa dívida. Estamos com equipes nas ruas e empenhadas em encontrá-los”, disse.

Outra vítima

Na entrevista à Banda B, Amaro relatou que outra menina de dez anos ficou ferida. “A mãe do Cauê levou um tiro de raspão e não corre risco, além dela uma garota, que não era da família, levou um tiro na perna. No caso da menina, podemos disser que estava na hora e no local errados”, concluiu.

Notícia Relacionada:

Menino de sete anos morre baleado no Prado Velho em suposta briga de gangues