Da Redação

tecpucdentroMateus (à esquerda) foi morto por Willian (à direita), mas o autor ainda não pode ser preso (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil do Paraná já sabe quem matou o estudante do TECPUC (Cursos Técnicos da Pontifícia Universidade Católica do Paraná) Mateus Amorim da Silva, de 18 anos, em setembro deste ano, no bairro Prado Velho, em Curitiba. O suspeito foi identificado como Willian Pereira dos Santos, de 21 anos. Só que ele não pode ser preso, devido ao período eleitoral que só permite a detenção em casos de flagrante.

O crime é investigado pela Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba (DFR), ma, de acordo com o artigo 236 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965), os investigadores só poderão efetuar prisões em casos de flagrante, o que dificulta o trabalho da especializada, já que Willian só pode ser detido por meio de um mandado de prisão. A determinação vale para cinco dias antes das eleições, até 48 horas após o fim da votação.

Outro detalhe no caso é que Santos foi preso por assalto à mão armada em maio deste ano, mas ficou poucos dias presos.

O crime

O aluno do TECPUC foi morto em um assalto na noite do dia 18 de setembro. Mateus foi ferido com um golpe de faca nas costas no momento em que andava, na companhia de uma garota, até uma estação-tubo. Ele foi socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos.

O casal seguia a pé pela Conselheiro Laurindo até a estação-tubo Paiol depois de sair da aula, por volta das 23h30 Próximo a uma churrascaria, o casal foi abordado por um homem que deu voz de assalto, com uma faca em punho. De acordo com a Polícia Militar (PM), o rapaz reagiu ao notar que o bandido começou a mexer e ameaçar a garota que estava com ele.

Notícias Relacionadas:

Estudante do TECPUC morre em tentativa de assalto logo após sair da universidade

A partir desta terça-feira prisões só ocorrerão em flagrantes