O suspeito de comandar a organização criminosa de contrabando de cigarros, Elieuton Francis Mayer, funcionário do gabinete do deputado estadual Waldyr Pugliesin, foi demitido nesta sexta-feira (26) pelo parlamentar. O político confirmou que ontem fez o pedido de exoneração, mas ele ainda não ocorreu oficialmente, já que não foi publicado no Diário Oficial, o que deve acontecer nos próximos dias.

Além de Mayer , que seria o líder da suposta organização, 22 pessoas foram presas pela Polícia Federal (PF). Destas, nove são policiais militares, entre eles o capitão Alexandre Dupas Pereira e o major Valmor Caetano Dellê. Um investigador da Polícia Civil também foi detido. Outra pessoa presa é um ex-zagueiro de Coritiba, Fluminense e São Paulo, que não teve o nome revelado oficialmente.

A PF, durante a operação, também cumpriu mandados de condução coercitiva, quando a pessoa é obrigada a prestar esclarecimentos. O coronel Carlos Alexandre Scheremeta, ex-corregedor da Polícia Militar do Paraná, o delegado da polícia civil José Aparecido Jacovós, de Campo Mourão, e outro servidor da Alep, foram levados à PF por meio deste mandado.

Nas notícias relacionadas, confira mais sobre o caso, com matérias sobre a prisão do ex-jogador e a suposta intenção dos membros da quadrilha de derrubar o atual comando da Polícia Militar.