Dançar e transar muito são os objetivos de quem usa uma nova droga sintética que está chegando agora ao Paraná e seria usada na megafesta rave que acontece neste final de semana em Piraquara, região metropolitana de Curitiba. A droga não chegou ao destino porque, na última terça-feira (23), policiais civis do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) prenderam um traficante no bairro Hauer, em Curitiba, e apreenderam 8 gramas dessa droga, também conhecida como MD ou crystal.

Antônio Nascimento – Banda B
Drogas apreendidas com Fernando

“Com Fernando Leandro da Silva, 31 anos, também foram apreendidos 260 comprimidos de ecstasy e quarenta cápsulas de gel onde seria acondicionado o crystal para posterior venda”, contou o delegado titular do Cope, Amarildo José Antunes, destacando que esta droga seria distribuída na festa rave que vai acontecer na região de Curitiba no fim de semana.

Antunes disse que o homem confessou ser traficante há quatro meses e que comprou a droga de um desconhecido por R$ 2,6 mil justamente para vender na rave do fim de semana. Ele cobraria entre R$ 15 e R$ 20 cada comprimido de ecstasy e entre R$ 30 e R$ 50 cada cápsula de crystal.

Efeitos do ‘dançar e transar’

O delegado Antunes explicou que o crystal é uma metanfetamina superpoderosa. Nos Estados Unidos a droga também é conhecida como ice, cranck ou speed. “Ela é usada para quem quer ter energia para dançar por muito tempo ou por quem quer fazer muito sexo”, contou o delegado.

Conforme Antunes, a droga eleva a temperatura do corpo, os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea, em níveis muito perigosos. “Quem usa pode ficar muito tempo sem precisar comer ou dormir. A pessoa que usa essa droga fica com o extinto agressivo e paranóico, muitas vezes podendo até tentar o suicídio quando está drogado”, explicou.