Por Elizangela Jubanski e Antônio Nascimento

Sob forte comoção, o corpo da soldado Bárbara Aline da Rocha,  Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd) de Piraquara, foi sepultado no Memorial Graciosa, em Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba. A soldado estava de folga conversando com a família em um comércio, que é do irmão dela, quando foi baleada duas vezes por homens armados. A polícia trabalha com algumas linhas de investigação, mas a principal dela é que o crime possa ter sido cometido por vingança, já que a soldado teria trocado tiros com bandidos que tentaram levar o veículo dela.

Soldado Bárbara tinha três anos de corporação. Foto: Reprodução

Com cerca de cem pessoas, entre familiares e amigos de farda, o velório da policial contou com a presença do comandante-geral da Policia Militar do Paraná o Coronel Maurício Tortato que disse à Banda B que a melhor resposta para o caso é o esclarecimento do crime.

“É um sentimento de luto, mais um militar que tomba de maneira totalmente vinculada a situação profissional.
Estamos aqui para prestar solidariedade aos familiares e colegas de turma, já que a soldado Bárbara estava se formando. Temos que nos confortar e fazer essa reflexão para cada vez nos cuidarmos mais. A nossa prioridade é encontrar, e esclarecer o crime. É a melhor resposta que podemos dar, não com sentimento de vingança, mas de justiça”, disse.

Embora se tenham informações sobre suposta prisão de um dos suspeitos, a Polícia Militar (PM) não confirma e ainda não se pronunciou oficialmente, por meio da assessoria. O comandante do BpGd, tenente coroenl Eroni Roberto Antunes afirmou que ainda é cedo para afirmar se a tentativa de assalto possa ter culminado na morte de Bárbara.

“Estamos trabalhando com várias informações, testemunhas, então, ainda está na questão de investihação, e ainda não é interessante divulgarmos para que a gente não venha prejudicar o andamento. Sabemos que ela estava de folga, em um local dos familiares e, infelizmente, o bandido já chegou armado, sem que ela tivesse conseguido reagir. É uma das linhas, mas precisamos esperar”, descreveu.

Familiares estavam em choque com a morte da soldado que tinha três anos de corporação, com formatura prevista para o ano que vem.

Crime

O crime aconteceu dentro de um aviário, comércio da família, na Rodovia João Leopoldo Jacomel, bairro Maria Antonieta, às 17h33. Dois bandidos chegaram em um Fiat Uno e estacionaram próximo ao local. Um deles desceu já com arma e punho, apontando para a soldado. Ela esboçou reação, mas não deu tempo.

Segundo apurado pela Polícia Militar (PM), Bárbara sofreu uma tentativa de assalto ao veículo dela. Houve confronto e ela atingiu um dos suspeitos, que foi socorrido a UPA de Pinhais, mas fugiu em poucos dias. O celular da soldado teria sido levado pelos bandidos. Ainda, segundo testemunhas, uma pistola que ela carregava no momento do crime foi levada pelos bandidos.