Um funcionário de uma empresa de segurança matou uma colega de trabalho na noite desta quarta-feira (15) em Curitiba. O crime – ainda um mistério para a polícia – aconteceu dentro da empresa que fica na Rodovia do Xisto, limite entre ?Araucária, região metropolitana, e a Cidade Industrial. Gleice Pereira de Moura, 28 anos, levou tiros na cabeça e morreu na hora. Depois dos disparos, Bernardo Wrobel, 30 anos, apontou o revólver para a boca e atirou.

O crime foi presenciado por colegas de trabalho, que prestavam serviço para uma empresa de fundição. A vítima fazia o turno da tarde e se preparava para deixar o posto para o atirador, que furtou e descarregou a arma em direção a Gleice. Outros funcionários correram quando ouviram os disparos, já que depois de disparar contra ela, Bernando apontou a arma em direção a outras pessoas e também disparou. Outros seguranças não foram atingidos. A arma utilizada no crime é da empresa de segurança.

Depois do surto, ele carregou o revólver e disparou contra a boca. Bernando foi socorrido pelo Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) e encaminhado ao Hospital Trabalhador, no bairro Portão. Ele não corre risco de morte.

De acordo com o delegado Anderson Franco, da Delegacia de Homicídios, o caso ainda está sem explicação. “O Bernardo assumiria o serviço às 19 horas e, de repente, pegou o revólver da empresa que estava no cofre e efetuou diversos disparos contra ela. Os colegas disseram que ele era uma pessoa tranquila e que não apresentou nenhuma alterações nos últimos dias”, disse o delegado.

Até agora, a Homicídios trabalha com duas hipóteses: crime passional ou problema mental. No entanto, a mulher era casada e não foi possível estabelecer alguma ligação entre os dois. O marido da vítima foi até o local e ficou em estado de choque. De acordo com informações da empresa, a vítima estava na empresa há um mês e meio.