Por Felipe Ribeiro

Seis meses após crime que matou o marido e o filho de sete anos, Rosângela de Almeida se mobilizou nesta terça-feira (3) para pedir Justiça. Em entrevista à Banda B, ela relatou que o período vem sendo de muita dificuldade pela família, uma vez que além da falta de respostas, o outro filho dela precisou passar meses em uma cadeira de rodas devido a um disparo na perna durante a mesma situação. O assassinato aconteceu no final de abril, no bairro Guarituba, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba.

“Tudo o que eu quero saber é o que a Polícia Civil está fazendo, se eles já tem pistas de quem fez isso. Não sei com o que meu marido estava metido, mas meus dois filhos não poderiam pagar por isso com ele. Eu quero Justiça pelo que fizeram”, disse Rosângela.

Na ocasião, o a alvo era o pai Samuel de Almeida, que morreu na hora. Alexandre Cordeiro de Almeida, de sete anos, chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu no Hospital do Trabalhador, em Curitiba. Já Ademilson de Almeida, de 8 anos, ficou com uma lesão na perna provocado por um disparo e estava andando em uma cadeira de rodas até o último mês de outubro. Na ocasião, a Polícia Militar informou que quatro homens encapuzados e armados teriam invadido a casa da família.

Após o crime, Rosângela e Ademilson se mudaram para outra casa, até mesmo para facilitar o tratamento na perna do menino. “Só sabemos que um carro veio e realizou os tiros, não temos pistas, nem informações, o que causa certo desespero e medo em tudo o que fazemos”, concluiu.

A Delegacia de Piraquara segue em investigações para tentar localizar os suspeitos. Como esta terça-feira (3) está sendo usada para Dia Estadual do Servidor Público, novas informações do caso devem ser repassadas nos próximos dias.