Juliano Cunha/Banda B
e
O carro estava a pouco mais de 15 minutos de onde aconteceu o crime

Um agente penitenciário foi executado no final da tarde desta segunda-feira (18) na Rua Francisco das Chagas Lopes, no bairro Boa Vista, em Curitiba. De acordo com informações repassadas pela Polícia Militar, homens em um veículo prata teriam passado por ele e efetuado os disparos.Vilmar Antonio Prestes da Silva, tinha 47 anos, e estava acompanhado de um dos filhos dele no momento em que foi assassinado. Pelo menos seis tiros acertaram a vítima que morreu na hora.

Este é o segundo caso de agente penitenciário vítima de execução na capital paranaense em menos de cinco dias, já que na quarta-feira passada, Valdecir Gonçalves da Silva, de 35 anos, morreu na Cidade Industrial de Curitiba.

Vilmar Antonio Prestes da Silva estava lotado na Penitenciária Estadual do Paraná, trabalhava há mais de 15 anos no local e deixou quatro filhos.

Nos últimos dias foram registrados alguns crimes dentro de presídios do Paraná, o que gerou comentários sobre uma suposta lista de pessoas marcadas para morrer. A Delegacia de Homicídios (DH), que investiga os casos, não confirma a informação.

Há menos de uma quadra do local em que o agente foi morto na tarde de hoje funciona uma escola municipal para crianças de até 10 anos.

Investigações

As linhas de investigação da morte do agente penitentenciário começaram a ser traçadas pela Delegacia de Homicídios. O delegado Rubens Recalcatti informou na manhã desta terça-feira (19) à Banda B que o agente sofreu ameaças de morte na semana passada. “A informação premiliar diz que ele sofreu ameaças de morte depois de de discutir com uma pessoa na Estrada da Ribeira. Vamos checar e ver o que aconteceu lá”, disse o delegado.

Carro queimado

Um Spacefox foi encontrado em chamas durante a noite desta segunda-feira (19), na rua Rio Cubatão, Jardim Weissópolis em Pinhais, e pode ser o carro usado pelos assassinos. O local fica distante pouco mais de 15 minutos de onde aconteceu o crime. Ninguém viu quem deixou o carro no local, nem se havia outro veículo na cobertura. O Instituto de Criminalística vai fazer perícias para descobrir o proprietário do carro.

Outros dois agentes baleados

Vale lembrar ainda que outros dois agentes penitenciários chegaram a ser baleados em Curitiba no último mês, o que reforça a possibilidade de existência da suposta “lista negra”.

Um dos casos aconteceu contra uma agente penitenciária Neusa Bednarzuc, que foi baleada na cabeça no bairro Xaxim no último dia 9. O outro foi contra o agente Jair Dias no dia 26 de fevereiro, que foi baleado no momento que seguia se dirigia para uma panificadora no bairro Pilarzinho.

A DH deve se pronunciar sobre o crime ainda nesta segunda-feira.