Caso aconteceu na BR-376 na manhã de terça-feira. (Foto: Djalma Malaquias – Banda B)

 

O vereador Edival do Nascimento (PR), que sobreviveu à tentativa de assalto a carros-fortes na BR-376 na manhã de terça-feira (6), acusa os vigilantes da empresa de transporte de valores de atirarem contra os seus colegas. Na ocasião, os parlamentares Elton Alexandre de Aguiar (PV), conhecido como “Coruja”, morreu ainda no local, e Miguel Calixto (PSD) foi baleado e socorrido em estado grave ao hospital – onde permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

No momento do crime, os três políticos, do município de Barra do Jacaré, no Norte Pioneiro, seguiam juntos pela rodovia rumo a Curitiba, onde participariam de uma reunião com o governo do estado em busca de recursos para a cidade. Único do trio a escapar ileso da situação, Edival não consegue tirar da cabeça os momentos de terror pelo qual passou. Ele afirmou que lembra com clareza de quando os vigilantes dispararam contra eles depois que os bandidos já haviam fugido.

Edival Nascimento foi o único vereador a sair ileso do local. (Foto: Divulgação)

“Foi um negócio horrível. Depois de sermos abordados pelos assaltantes e eles pedirem para a gente descer do veículo, nos escondemos atrás de um caminhão e ficamos deitamos. Estávamos no fogo cruzado, eu não sei como estou vivo… Os bandidos ficavam passando por cima de nós o tempo todo, dizendo para a gente colocar a cara no chão”, relatou ele, em entrevista à Banda B nesta quinta-feira (8).

De acordo com o vereador, na hora que os assaltantes saíram de perto, ele conseguiu mandar uma mensagem pelo WhatsApp para outro colega, pedindo que chamasse a polícia. “Só que a ajuda demorou uma hora para chegar e nós ficamos lá, no meio do tiroteio. Quando finalmente o helicóptero começou a sobrevoar o local, os bandidos correram para o mato. Na hora que eu achei que tudo tinha acabado, quando saímos do nosso esconderijo, os vigilantes atiraram na nossa direção”.

Edival relatou que saiu gritando para os seguranças pararem de disparar, avisando que eles eram vereadores e não bandidos. Mas, quando eles entenderam a mensagem, já era tarde demais. Elton e Miguel já haviam sido atingidos. “Os vigilantes estavam completamente despreparados. Eu só não morri porque levantei muito rápido, berrando que os assaltantes já tinham ido embora, que nós éramos inocentes. Deus me deu uma coragem tão forte nessa hora”, completou.

Trauma

Ainda muito abalado com o que aconteceu, Edival comentou que tudo o que quer fazer agora é buscar por justiça. “Eu não consigo dormir, eu entro na minha casa e me desespero… Nem o médico tira isso da minha cabeça. Eu fecho os olhos e vejo os vigilantes atirando, os policiais gritando, os bandidos nos chutando… Eu estive em uma guerra”.

Segundo ele, toda a cidade de Barra do Jacaré ainda está em luto devido à situação. “Está todo mundo chocado, somos de uma cidade pequena, com pessoas humildes. Nós, vereadores, estávamos correndo atrás de sonhos… De ajuda para manter uma escola aberta, para melhorar o nosso atendimento em saúde e segurança. Mas, em vez disso, olha só o que aconteceu. Ficamos lá, duas horas deitados, sem ninguém nos socorrer”, desabafou.

Polícia Civil

A Polícia Civil continua a investigar a tentativa de assalto aos carros-fortes que deixou três pessoas mortas na terça-feira. Além do vereador Elton, morreram também o caminhoneiro Vilson Pereira, de 41 anos, e um bandido. Outros dois suspeitos foram mortos em confronto com a polícia na zona rural de Campo Largo, na região metropolitana.

Procurada pela reportagem, a Polícia Civil informou que todas as armas apreendidas no local foram encaminhadas para confronto balístico e, só após a conclusão dos laudos, será possível afirmar quem disparou contra os inocentes. Depoimentos de testemunhas e análise de câmeras de segurança devem auxiliar na investigação.

Empresa Protege

A Banda B também entrou em contato com a empresa Protege, responsável pelos carros-fortes envolvidos na situação, que enviou a seguinte nota:

Em relação à tentativa frustrada de assalto envolvendo um grande número de criminosos na BR-376, no Paraná, a empresa informa que seus colaboradores efetuaram uma manobra de segurança com os carros-fortes e conseguiram neutralizar um dos flancos do ataque do bando. O procedimento adotado é fruto do amplo e constante treinamento que nossos vigilantes são submetidos, capacitação que atende as mais rigorosas normas de segurança estipuladas pelas autoridades competentes brasileiras. Nossos colaboradores encontram-se em segurança e a empresa enaltece toda a assistência recebida pelas forças de segurança do Estado na busca e prisão de meliantes. Infelizmente, a ação dos criminosos deixou vítimas civis, para quem deixamos nossa solidariedade aos familiares e amigos. A empresa esclarece ainda que está dando o apoio necessário às apurações que estão sendo feitas pela Polícia, que está adotando todas as medidas devidas para o andamento das investigações, inclusive perícia.

 

Notícia relacionada