Da Redação com Polícia Civil

Foto: Colaboração

Quatro homens foram presos suspeitos de sequestrar um empresário de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. O comerciante foi levado por volta de 6 horas desta segunda-feira (6). Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que a vítima é abordada pelos suspeitos, tenta correr, mas é levada pelos bandidos.

De acordo com a Polícia Civil, após o sequestro, os bandidos passaram a e exigir uma quantia em dinheiro. O quarteto então se dividiu. Dois foram até a casa do comerciante para buscar o resgate e os outros dois ficaram com a vítima em um local improvisado como cativeiro. No momento em que Claúdio Souza dos Santos Júnior e Kleyton Javorski de Oliveira passaram pela frente da casa da vítima, foram reconhecidos por vizinhos e imediatamente presos em flagrante por uma equipe da Polícia Militar.

Com a prisão da dupla, os outros dois sequestradores cogitaram matar a vítima, mas acabaram libertando o empresário. Em conversa com os policiais do Tático Integrado Grupo de Repressão Especial (Tigre), o comerciante falou que andou por um bom tempo por dentro do mato até que encontrou uma pequena estrada rural e, logo adiante, uma chácara – local que pediu ajuda.

Os dois presos foram interrogados pelo delegado operacional do Tigre, Cristiano Quintas, mas ambos permaneceram em silêncio. A partir daí, a equipe do Tigre iniciou as investigações para chegar até os dois outros criminosos que participaram do crime.

A dupla foi localizada no apartamento de um condomínio na Avenida Guatupê, em São José dos Pinhais. Reginaldo de Souza Nalin e Maikon Douglas Rodrigues Guimarães foram detidos dentro de casa. No local, os policiais encontraram o aparelho celular usado pelos sequestradores.

Em depoimento ao delegado Quintas, Guimarães confessou o crime. Disse que a intenção não era sequestrar o empresário, mas que a vítima, ao ser abordada começou a gritar, o que obrigou os criminosos a coloca-lo dentro do carro e levar até o cativeiro. Neste local, os policiais do Tigre encontraram um carro modelo Cerato – também objeto de roubo por parte da quadrilha e usado no sequestro.

“Todos os casos de extorsão que foram levados ao Tigre, foram resolvidos e sem o pagamento dos valores pedidos. Os nossos policiais do Tigre estão cada vez mais capacitados. Além de cursos no Brasil, representantes do Tigre foram para a França, treinar com o RAID — Grupo de elite da polícia francesa. E isso mostra seus resultados quando, em nosso dia a dia, prestamos um serviço de excelência para a população do Paraná”, explicou o delegado titular do Tigre, Luiz Fernando Artigas Júnior.

Os quatro homens devem responder pelos crimes de extorsão mediante sequestro e, com o desenrolar das investigações, poderão também incidir no crime de associação criminosa, roubo e receptação dos veículos. As penas podem chegar a quase 30 anos de prisão.

Assista ao vídeo da ação no player abaixo: